1940 – “Faísca” e Sporting triunfam na Volta a Portugal em bicicleta

8 de Setembro de 1940. Nesse dia terminou a 9ª Volta a Portugal em bicicleta. Depois de Alfredo Trindade, em 1933, o Sporting conseguiu finalmente voltar a ter um ciclista seu como vencedor da competição. José Albuquerque, mais conhecido por “Faísca”, triunfou brilhantemente com 3m20s de avanço do benfiquista Aguiar Martins. Os leões venceram por equipas (também pela 2ª vez) e o final foi apoteótico com milhares e milhares de pessoas a aplaudir os atletas no Estádio do Lumiar. João Lourenço foi 4º classificado e Francisco Inácio 5º, tendo a média de 30,533km/h constituído novo recorde.

Em entrevista ao jornal “Os Sports” José Albuquerque afirmou: “Antes de partir fiz para mim o estudo do percurso e dos adversários. A minha tática de ataque (para me desembaraçar de alguns competidores) resultou em pleno na 2ª etapa. Depois planeei atacar a caminho da Guarda aproveitando as subidas das serras da Gardunha e da Estrela. Antes da Guarda tive fome… Tinha-me abastecido insuficientemente pelo facto de a algibeira ser pequena, pelo que por alturas do Teixoso senti fraqueza. Para o dia seguinte já arranjei outra camisola amarela, com uma algibeira maior! Na etapa para Vila Real podia ter perdido tudo pois partiram-se-me 3 aros duma roda à passagem por Lamego e depois tive um furo. Quando me disseram na Régua que o meu atraso era de 3 minutos receei. Valeu-me depois as subidas, nas quais ataquei com decisão beneficiando das minhas faculdades de trepador. Em Santa Marta de Penaguião já tinha os fugitivos à vista. Na descida do Marão os 2 benfiquistas aumentaram muito o ritmo esperançados que eu, leve como sou, caísse e perdesse muito tempo, o que seria fácil com tanta areia na estrada. Fi-la com cuidado e como só perdi cerca de 1 minuto acabei por alcançá-los e fui com eles até ao Porto. Depois para Lisboa segui cautelosamente para não me acontecer nada (…) Após ter vencido a Volta muita coisa se modificou. Agora encontro facilidades em toda a parte. Os convites para festas são tantos que é difícil satisfazer todos!”

Com cerca de 40 contos de orçamento, o Ciclismo do Sporting (já sem Alfredo Trindade) teve uma época fenomenal que foi muito para além da glória na Volta a Portugal. Os leões tiveram o Campeão Regional de fundo e velocidade (os nacionais não se disputaram) – João Lourenço,  para além de terem triunfado em inúmeras outras competições. Aliás, João Lourenço esteve irresistível, ganhando prémios atrás de prémios. Tudo começou nos clássicos 100km organizados pela União Velocipédica Nacional. Depois, num corropio, Lourenço ganhou o Distrital de fundo, o “Lisboa-Caldas da Raínha-Lisboa”, o Regional de velocidade, o “Lisboa-Peniche-Lisboa”, o 2º Grande Circuito da Foz e o 11º Giro do Minho.

Em finais de Maio o Sporting passou a contar nas suas fileiras com José Martins, um bom ciclista que correra por França e Espanha nos últimos tempos. Martins rapidamente se integrou, conquistando também boas vitórias, como o “Circuito dos Centenários” em Santarém e a 12ª Volta dos Campeões.

Francisco Inácio triunfou no Grande Circuito de Loures e o italiano Luís Longo na Volta a Portugal “em miniatura”.

Na foto: José Albuquerque, o “Faísca”.

Post to Twitter

Comments (3)

 

  1. D.Laudelina de Albuquerque,
    O seu avô José Albuquerque, costumava dizer ao meu tio Eduardo Lopes, que ainda eram primos, pois o meu avô (seu pai) era de Penalva do Castelo.
    Os meus cumprimentos,
    Eduardo Lopes

  2. sporting canal says:

    Muito obrigado:)

  3. Laudelina de Albuquerque says:

    É com grande orgulho que vejo que alguem ainda se lembra do meu avó! Um bem haja pra vocés.

Deixe o seu comentário