Festejou-se o Natal no “Rápido” Porto-Lisboa

24 de Dezembro de 1944. Dir-se-ia que aquele “Rápido” da CP tinha sido posto à disposição da equipa do Sporting que naquela tarde de véspera de Natal tinha vencido o Salgueiros por 6-1, no Porto, na 5ª jornada do Campeonato Nacional.

De facto, o comboio “normal” foi substituído pelo “Rápido”, o qual, se tudo corresse normalmente, poderia permitir que a comitiva sportinguista chegasse a Lisboa ainda a tempo de passar um restinho da Consoada com a família. Assim aconteceu, mas na dúvida, diretores, jogadores e acompanhantes resolveram fazer da carruagem-restaurante do comboio o seu lar provisório e acidental.

Foi uma festa alegre e entusiástica em que muitos convivas usaram da palavra para enaltecer os laços de amizade e a fé clubista que uma festa espontânea como esta proporcionaram. E sabem quem foi o “árbitro” principal desta contenda? Nem mais nem menos que a simpática esposa de Peyroteo, que enquanto o Sporting “aviava” o Salgueiros foi a uma confeitaria da “invicta” comprar bolo-rei, vinho do Porto e outras iguarias para “montar” aquela noite de Consoada no “Rápido”.

Nunca uma viagem Porto-Lisboa de comboio foi tão curta. De São Bento a Santa Apolónia foi um “saltinho”!…

Post to Twitter

Deixe o seu comentário