O “Dia do Sporting”

3 de Outubro de 1937. Esse foi chamado o “Dia do Sporting”, celebrado em todo o país com realizações desportivas do “clube-mãe” e das suas filiais com vista a angariar fundos para a construção do novo estádio leonino.

No Campo Grande houve o “prato forte” do dia com a partida entre os finalistas do último Campeonato de Portugal – Sporting e FC Porto, para a disputa da Taça Estádio. Ainda mal a época tinha começado e já o Sporting somava o seu 3º troféu.

Os leões eram treinados por Jozef Szabo, que apresentou a seguinte equipa: Azevedo; Jurado e Mário Galvão; Rui de Araújo, Esteves (Soeiro) e Manecas; Mourão, Heitor, Peyroteo (Joel), Pireza e João Cruz.

O Sporting dominou a contenda, e na primeira meia-hora com grande nitidez. Apesar disso, só aos 65 minutos o marcador funcionou. Heitor cruzou para a meia-esquerda, Pireza com uma finta magnífica abriu caminho a Soeiro que faturou. Pouco depois surgiu o 2º golo, que foi algo de brilhante, resultando duma fantástica jogada coletiva entre Mourão, Pireza e Heitor, que Soeiro mais uma vez concretizou.

O último golo (3-0) foi forjado na sequência duma troca de lugares entre os avançados, tática na qual o Sporting se procurava aperfeiçoar para surpreender as defesas adversárias. João Cruz fugiu pela esquerda e centrou de pé direito para Pireza que, desmarcado sobre a direita, tocou a bola no ar de forma a bater Soares. Peyroteo ainda acorreu a confirmar o golo que já parecia certo.

O Sporting obteve uma vitória perfeitamente lógica se atendermos ao desenrolar do jogo. Soeiro, o jovem Peyroteo e Pireza estiveram muito bem, prometendo um entendimento magnífico para a temporada oficial, que seria de glória!

Foto (arquivo): Soeiro, autor duma exibição magnífica e 2 golos frente ao Porto.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário