Em Amesterdão, um dos grandes triunfos nas Competições Europeias

5 de Outubro de 1988. Nesse dia os leões conseguiram uma vitória histórica em Amesterdão no velhinho Estádio De Meer em partida a contar para a 2ª mão dos 1/32 final da Taça UEFA.

Sob a orientação do uruguaio Pedro Rocha, e em relação à partida da 1ª mão (que o Sporting venceu por 4-2), entraram na equipa Damas, Douglas (um trinco de grande categoria que tardava em firmar-se na 1ª equipa leonina – fazia aqui a estreia oficial) e Carlos Xavier, para os lugares de Rodolfo Rodriguez, Carlos Manuel e Paulinho Cascavel.

O Sporting fez uma exibição de grande esforço, mas com golos de classe obtidos por Silas aos 21 minutos, que descaído pela direita na sequência dum contra-ataque fez um magnífico chapéu a Menzo – obtendo um golo fantástico, e por Rui Maside, que a 5 minutos do fim recebeu uma solicitação longa de Damas e correu mais que os defesas contrários, isolando-se e rematando para o melhor sítio.

O golo da equipa da casa surgiu aos 81 minutos por Verkuyl, na ressaca a um livre de Rob Witschge.

Oceano, Silas e Forbes constituiram a matriz da equipa leonina, que se por um lado soube sofrer quando foi preciso, por outro podia ter obtido um resultado mais dilatado se tivesse concretizado mais alguns dos seus perigosíssimos contra-ataques. O brasileiro Paulo Silas confirmava em cada jogo a sua enorme capacidade: “O meu golo foi um momento extraordinário numa jogada de puro contra-ataque. Quando vi que estava quase sem ângulo tentei a única hipótese de fazer o golo, o chápéu ao Menzo, e felizmente correu bem. Assim ficámos mais tranquilos. Criámos as melhores oportunidades de golo e estamos todos de parabéns”.

Resta acrescentar que esse foi o jogo 121 e a vitória 52 do Sporting nas Competições Europeias de Futebol.

Foto: Execução fantástica de Silas no 1º golo do Sporting.

video

Post to Twitter

Deixe o seu comentário