Nélson

Nélson Alexandre Gomes Pereira nasceu a 20 de Outubro de 1975 em Torres Vedras. Começou a jogar aos 10 anos no clube da sua terra, primeiro como avançado e depois (num daqueles acasos em que falta um guarda-redes e alguém vai experimentar o posto) na baliza. Ficou 11 anos no Torreense antes de ingressar no Sporting, no defeso de 1997.

Perante a concorrência de De Wilde e Tiago, não chegou a alinhar na 1ª época em Alvalade. Estreou-se oficialmente (com o treinador Mirko Jozic) a 25 de Abril de 1999 num Sporting-Boavista (1-1) para a 29ª jornada do Campeonato e até ganhou a titularidade na fase final dessa temporada, alinhando em 6 jogos oficiais.

Para a época seguinte chegou Schmeichel, um guarda-redes consagrado internacionalmente. Nélson aprendeu muito com o dinamarquês e nas poucas vezes que jogou (9) deixou boas impressões. No final celebrou o tão festejado título de 2000. Em 2000/01 Schmeichel manteve a titularidade, mas Nelson foi uma alternativa muito mais utilizada (18 partidas), destacando-se pela forma segura como correspondia dentro do campo e pelo seu feitio conciliador e amigável fora dele, que muito contribuiam para um bom espírito de grupo.

Após a saída do “Grand Danois”, Nelson alternou com Tiago na baliza. Bölöni não deu a claramente a titularidade a nenhum dos dois, a ponto de ambos terem feito 24 partidas oficiais. No final festejou a “dobradinha” e foi convocado para o Mundial da Coreia/Japão. Em 2002/03 voltou a alternar com Tiago, mas a chegada do técnico Fernando Santos e de Ricardo fizeram-no passar a uma condição clara de suplente em 2003/04 (apenas 3 jogos). No ano seguinte, com Peseiro, jogou só uma vez e em 2005/06 (já com Paulo Bento) foi o nº 2 de Ricardo (8 jogos). A 8 de Fevereiro de 2006 alinhou pela última de vez de verde e branco numa receção ao FC Paredes (2-1) para os oitavos-de-final da Taça de Portugal.

No final da temporada a direção leonina propôs-lhe um posto na equipa técnica mas recusou pois queria jogar mais uns anos. Deixou em Alvalade a imagem dum bom-guarda redes (com serenidade, reflexos e boa estampa física para o posto), mas sobretudo a duma excelente pessoa, fundamental para um coletivo são e bem disposto.

Assim, esteve um total de 9 épocas (utilizado oficialmente em 8 delas) na equipa principal do Sporting. Realizou 90 jogos (sofreu 92 golos), ganhou 2 Campeonatos Nacionais, uma Taça de Portugal e duas Supertaças.

Afirma que Vítor Damas (o seu ídolo e 1º treinador de guarda-redes) e Silvano di Lucia (com quem construiu uma relação afetiva com muito significado) foram fundamentais no seu trajeto.

De Alvalade foi para Setúbal. Passou ainda por Estrela da Amadora e Belenenses, onde terminou a carreira em 2010. Foi 3 vezes internacional A. Atualmente tem um escola para guarda-redes e é treinador desse posto específico no futebol leonino.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário