Octávio de Sá – Um moçambicano na baliza do Sporting

Octávio Augusto César de Sá nasceu a 2 de Novembro de 1935 em Lourenço Marques – Moçambique. Chegou ao Sporting (para os juniores) em 1953, e no Verão de 1956 foi promovido ao plantel principal para ser alternativa a Carlos Gomes. Sob o comando de Abel Picabêa fez apenas 1 jogo, a 16 de Setembro, num empate no terreno do Benfica a uma bola. Na temporada seguinte Carlos Gomes manteve-se em grande evidência pelo que Octávio de Sá jogou somente 4 vezes. No final da época pôde festejar o título de Campeão Nacional – a sua grande conquista de verde e branco.

No defeso de 1958 Carlos Gomes saiu para Espanha e Octávio de Sá (apesar da chegada de Carvalho e Alves Pereira para a baliza) viu finalmente chegar a sua hora. Habitualmente titular na equipa de Enrique Fernández (primeiro) e Mario Imbelloni (depois), realizou 35 partidas.

1959/60 foi a sua última temporada como jogador do Sporting. Apesar de ser muito utilizado (35 presenças) ficou “marcado” por uma exibição infeliz no jogo que decidiu o título (derrota por 4-3 com o Benfica). Ainda assim continuou a jogar regularmente, e fê-lo pela última vez a 3 de Julho de 1960 no derradeiro jogo oficial da época (derrota na final da Taça de Portugal perante o Belenenses por 2-1).

Assim, totalizou 4 épocas, 76 jogos oficiais e 79 golos sofridos de verde e branco. Ganhou 1 Campeonato Nacional. Deixou a imagem dum guarda-redes de bom recursos, corajoso, que soube esperar pela sua oportunidade mas que nunca chegou a marcar uma era em Alvalade.

Após a sua saída do Sporting voltou ao país natal onde se notabilizou ao serviço da Seleção. Mais tarde ainda alinhou na África do Sul.

Morreu em 1990, deixando um filho (Roger de Sá) que lhe seguiu as pisadas e que fez carreira na África do Sul (chegando a internacional desse país). Mais tarde Roger chegou a fazer parte (como treinador da guarda-redes) da equipa técnica de Carlos Queiroz quando o português esteve à frente da Seleção sul-africana.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário