12-1 ao Boavista e outras peripécias curiosas na inauguração do novo Estádio

3 de Novembro de 1912. Nesse dia inaugurou-se oficialmente o novo Estádio do Sporting (na Alameda do Lumiar – um campo de futebol magnífico, com 103/70 metros, ladeado de planos e bancadas para peões e uma tribuna para espetadores sentados que comportava perto de 600 pessoas).

Para o efeito foi instituída a Taça Visconde de Alvalade (a disputar em 2 jogos, em Lisboa e no Porto), sendo convidado o Boavista (um dos melhores clubes da “cidade invicta”).

Dizia-se “à boca pequena” que os boavisteiros, compostos por magníficos elementos, se vinham treinando com entusiasmo e muito método para deixar uma boa impressão no público lisboeta, pelo que se previa um confronto muito renhido. O jogo começou às 14 horas depois da Banda de Marinheiros ter tocado várias peças do seu reportório. O pontapé de saída foi dado por Madame Viegas (pela 1ª vez em Portugal uma senhora da “alta sociedade” abria um jogo de futebol), algo que “se deveria repetir em todos os matches de importância”, segundo a opinião do jornal “O Século”.

O Sporting começou a partida logo carregando sobre o seu adversário, e assim esteve sempre, tendo Adelino Nunes (guarda-redes do Boavista) um trabalho insano, mas com ótimas defesas. Os leões chegaram ao intervalo com uma vantagem de 5-0, tendo-se destacado o golo de Cândido Rosa Rodrigues após uma belíssima combinação entre António Stromp e João Bentes. No 2º tempo o Sporting continuou a marcar golos atrás de golos, tendo os boavisteiros conseguido também o seu ponto de honra.

Os 12 golos do Sporting foram da autoria de António Rosa Rodrigues4, Cândido Rosa Rodrigues3, Francisco Stromp2, João Bentes, Sarmento e António Stromp.

Segundo o jornal “O Século”: “Do Sporting todos trabalharam com acerto e vontade, destacando-se um ótimo entrosamento entre os atacantes. Sarmento distribuiu magnificamente o jogo, o que foi bem aproveitado pelos meia-pontas e pontas. O público, que quase enchia as bancadas, vitoriou com entusiasmo as boas fases de jogo. A certa altura um episódio muito curioso aconteceu – um jogador do Sporting, ao marcar um penalty com que o árbitro tinha justamente punido infração dum adversário, atirou propositadamente para fora, uma desconsideração para com o juiz. Foi agradável com os adversários, mas desconsiderou o árbitro. As regras são para se cumprir…. De realçar ainda que o produto das entradas reverteu a favor da Sociedade de Beneficiência José Estevão”.

Já agora acrescente-se que mais de 6 meses depois, em Maio, o Sporting voltou a vencer os boavisteiros, agora no Porto (por 3-0), vencendo assim o troféu, que foi o 1º conquistado pela equipa de Futebol na História do clube.

Foto: A famosa linha avançada do Sporting na temporada 1912/13 denominada “5 torpedos” - António Rosa Rodrigues, António Stromp, Francisco Stromp, João Bentes e Cândido Rosa Rodrigues.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário