Fidalgo – Guarda-redes ágil, importante no título de 1980

António Henrique Martins Fidalgo nasceu a 7 de Novembro de 1952 em Vila Nova de Gaia. Depois de dar nas vistas no Sporting de Espinho rumou ao Benfica (ainda junior).

Pela Luz não jogou muito mas permaneceu vários anos, intercalados por alguns de empréstimo ao Leixões e Braga.

Chegou ao Sporting no defeso de 1979 (juntamente com Eurico) proveniente do Benfica. Nesse “Verão quente”, Botelho e Laranjeira fizeram o percurso inverso. Estreou-se oficialmente (com o treinador Rodrigues Dias) logo no 1º jogo da temporada (derrota no Restelo por 2-1). No entanto, uma grave lesão na semana seguinte, na Madeira frente ao Marítimo (e que o obrigou a duas intervenções cirúrgicas ao menisco interno do joelho esquerdo), fê-lo perder a titularidade para Vaz.

Numa temporada de grande luta entre Sporting e Porto pelo título, Fidalgo marcou presença em 19 partidas oficiais, e todos relembram a sua presença num dos jogos mais decisivos dessa caminhada (triunfo em Guimarães por 1-0 à penúltima jornada), onde uma defesa sua “milagrosa” perto do fim poderá ter sido fundamental para a conquista do título.

Na época seguinte voltou a começar como titular, mas uma lesão gravíssima na Luz (em partida da Supertaça) – com uma rutura total dum músculo na zona inguinal – fê-lo estar afastado por muito tempo dos relvados, pelo que realizou apenas 6 partidas.

Com a chegada de Meszaros e Melo para 1981/82 marcou presença em apenas 2 jogos, o mesmo acontecendo em 1982/83, a sua última época no Sporting.  A sua derradeira partida teve lugar a 2 de Abril de 1983 (derrota na Luz para a Taça de Portugal por 3-0).

Assim, somou 4 temporadas, 29 jogos e 25 golos sofridos de verde e branco. Ganhou 2 Campeonatos Nacionais, uma Taça de Portugal e uma Supertaça. Destacou-se pela sua fiabilidade, agilidade e reflexos.

Depois esteve no Salgueiros onde se iniciou nas lides de treinador (ao substituir interinamente Octávio Machado).  Mais tarde ainda alinhou no Estoril, onde encerrou a carreira em 1986.

Nos anos que se seguiram treinou diversas equipas dos escalões secundários e fez intervenções para a RTP.  Atualmente é possível ouvi-lo em comentários regulares na rádio e televisão.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário