A fantástica (e pioneira) Escola de Jogadores do Sporting

15 de Novembro de 1939. Nesse dia o jornal “Os Sports” noticiava que 180 rapazes se inscreveram na Escola de Jogadores criada pelo Sporting, “uma iniciativa pioneira e de grande alcance para o futebol português”. Os rapazes inscritos eram sujeitos a prévia inspeção médica a cargo de Martins Carneiro e Salazar Carreira e agrupados segundo os seus pesos. Seguia-se a convocatória e as sessões de seleção, que ocorriam aos sábados.

Na presença dos orientadores da escola (o treinador Jozef Szabo e Alfredo Perdigão – antiga glória do clube) os miúdos executavam determinados pormenores de jogo e em cada reunião eram escolhidos os considerados com mais habilidade. Os apurados nas sessões começavam verdadeiramente a frequentar a escola. O fim que se tinha em vista era preparar desde o princípio jogadores que pouco a pouco deveriam ascender às categorias oficiais do clube. O treinador principal acompanharia o seu desenvolvimento procurando corrigir eventuais defeitos e incutindo-lhes hábitos de disciplina. Em síntese, o Sporting procurava criar um núcleo de jogadores que pudesse mais tarde ingressar na equipa principal e dar a esta um certo padrão de jogo.

O ensino era na sua maior parte ministrado no próprio campo, mas também existia parte teórica. Segundo as declarações de Szabo na altura: “Os selecionados executarão um esquema de ginástica adequada à prática do futebol visando especialmente a flexibilidade e ligeireza de movimentos. Terão ainda pequenos sprints para ganharem velocidade, saltos em altura, etc. Tecnicamente começarão pelo princípio. Paragem de bola em várias posições (8 pelo menos) domínio de bola (base de todos os sistemas de jogo), lançamentos laterais, execução de livres e pontapés de canto, grandes penalidades, modos de rematar, de passar, colocação, desmarcação, etc… Teoricamente vou-lhes ministrar certos conhecimentos de jogo com o tabuleiro à vista. Noções de técnica e tática quando o team ataca ou defende, leis do jogo, etc… Ainda na parte teórica será fornecido por escrito a cada jogador uma lição do papel que lhe cabe no desenvolvimento global da equipa, o que facilitará a aprendizagem”.

Para além de tudo isto, o Sporting proporcionava aos rapazes o privilégio de assistirem a jogos dos seus ídolos, mostrando-lhes na prática como eles executavam. O Sporting instituiu ainda medalhas para premiar a assiduidade e o comportamento dos miúdos na Escola de Jogadores.

Foto (arquivo): O fantástico treinador Jozef Szabo.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário