Um início demolidor em 1916/17

26 de Novembro de 1916. Nesse dia o Sporting iniciou a caminhada no Campeonato de Lisboa de Futebol. A partida inaugural disputou-se em Palhavã, frente ao Império. A assistência era pouco numerosa, e o jogo só começou 30 minutos depois da hora prevista devido à falta de Artur Santos – o árbitro escolhido pela Associação de Futebol de Lisboa para dirigir o desafio. Amílcar Breia acabou por ser o juíz por concordância dos 2 capitães.

O campo de Palhavã não estava em boas condições, apresentando erva crescidíssima em alguns pontos e de folhas largas, escorregando imenso – o que prejudicava o jogo, principalmente aos que não estavam habituados a semelhantes condições.

O Sporting apresentou-se com: Paiva Simões; Amadeu Cruz e Jorge Vieira; Gastão Ferraz, Artur José Pereira e Boaventura da Silva; Marcelino, Francisco Stromp (cap), José Diogo, Perdigão e Armour.

Logo aos 3 minutos o Sporting inaugurou o marcador e até ao intervalo, que chegou com 5-0, foi um “ver se te avias” com José Diogo (um jogador novo na equipa, que se estreava oficialmente) e Alfredo Perdigão em grande destaque. Após 9 minutos de intervalo iniciou-se o 2º tempo, no qual o Sporting continuou a dominar claramente. Curioso o facto de Artur José Pereira ter ralhado várias vezes com o fiscal-de-linha por este ter dado indicações ao árbitro que iam contra a sua perceção dos lances!

Com várias faltas de Boaventura e muitas oportunidades falhadas pelos sportinguistas, o final da partida lá chegou com a vitória verde por 9-0.

Segundo a imprensa da época: “Na equipa do Sporting, à exceção de Marcelino (que ainda assim marcou um grande golo) e Gastão Ferraz, toda a equipa esteve em bom nível. Artur José Pereira e Jorge Vieira foram, como quase sempre, os melhores jogadores em campo.

Foto (arquivo): Jorge Vieira

Post to Twitter

Deixe o seu comentário