1985 – O “eterno” Lopes no 7º título Europeu de Crosse

3 de Fevereiro de 1985. O Sporting conquistou mais um título europeu, com grande brilhantismo. Carlos Lopes, Ezequiel Canário e Fernando Mamede foram os 3 primeiros na prova realizada nas Açoteias. Rafael Marques fechou a equipa em 11º. Dionísio Castro foi 23º e Hélder de Jesus 33º. Os leões totalizaram, assim, 17 pontos, menos 12 que os italianos do Pro Patria.

O Sporting venceu pela 7ª vez a competição, 5ª consecutiva(!), feito invulgar no desporto nacional e internacional. A corrida fez vibrar o público como poucas vezes se vira em Portugal. Canário esteve brilhante, Lopes igual a si próprio e Mamede, se bem que fora de forma, a lutar desalmadamente pela equipa. Curiosas as declarações finais de Canário: “Houve uma altura em que o Alberto Cova me começou a chamar filho disto e filho daquilo e a dizer que eu não ía ganhar nada. O Carlos Lopes ouviu e disse para eu arrancar, o que fiz e os italianos ficaram todos partidos. A culpa foi deles porque me picaram”.

No final Cova abraçou Canário e pediu-lhe desculpa pelo que tinha dito, afirmando que eram “coisas da competição”. Moniz Pereira era efusivamente abraçado e felicitado por todos. “Esteve sempre tudo debaixo de controlo. O Canário é muito atrevido. Era o atleta ideal para desgastar os italianos, o que fez brilhantemente”.

Foto: Rafael Marques, Carlos Lopes, Mário Moniz Pereira (treinador), Dionísio Castro, Fernando Mamede, Hélder de Jesus e Ezequiel Canário.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário