Litos – Um grande talento que poderia ter chegado mais longe

Luís Filipe Vieira Carvalha nasceu a 6 de Janeiro de 1967 em S. João da Madeira e foi na Sanjoanense que começou a jogar futebol. Estava ainda no escalão de iniciados quando foi “descoberto” pelo Sporting (o clube “de coração” desde muito novo). O seu talento logo deu nas vistas e nas camadas jovens foi sempre internacional.

No defeso de 1984 o Sporting perdeu Futre para o FC Porto, mas em Alvalade havia a crença de que Litos (também aliciado pelos portistas mas que acabou por permanecer de verde e branco) não ficaria nada a dever em termos de potencial ao ex-companheiro.

John Toshack, o técnico contratado para orientar o futebol do Sporting na altura, apostou forte no jovem centrocampista e promoveu a sua estreia logo no 1º jogo oficial da época, o Sporting-Vitória de Guimarães realizado a 26 de Agosto de 1984 (3-0). A 3 de Outubro Litos estreou-se a marcar oficialmente ajudando a resolver uma eliminatória da Taça UEFA que estava muito complicada em Auxerre (2-2 ap).

Nessa 1ª temporada realizou 37 jogos oficiais apontando 8 golos. Dono de uma capacidade técnica muito acima da média, dizia-se que o seu potencial não tinha limites e havia quem lhe chamasse o “Platini português”.

Entretanto John Toshack foi despedido e a partir da temporada seguinte, com Manuel José (e Keith Burkinshaw), Litos foi perdendo protagonismo na equipa embora continuasse a jogar com alguma assiduidade. O mesmo foi acontecendo com António Morais, Pedro Rocha e Raúl Águas. Com o tempo foi sendo utilizado quase sempre como médio ala direito, posição que desempenhava com eficácia mas sem brilhantismos. Era na posição 10 que conseguia extravasar todo o seu potencial mas raramente lá jogou com os vários treinadores que teve em Alvalade.

Em 1990/91 voltou a ser uma aposta consistente, agora de Marinho Peres, realizando 43 jogos. Parecia que a sua “estrela” voltaria a brilhar, mas inesperadamente, no ano seguinte, com a afirmação de Figo e Balakov voltou a ser uma 2ª escolha e acabou por ser dispensado no final…

Permaneceu no Sporting 8 temporadas (até 1991/92) mas nunca voltou a atingir o mesmo patamar da temporada de estreia (quando tinha apenas 17 para 18 anos). O seu último golo foi marcado a 5 de Maio de 1991 na Luz frente ao Benfica (1-1). Realizou 193 jogos oficiais pelos leões marcando 19 golos. Ganhou 1 Supertaça.

Jogou duas vezes na Selecção nacional.

Dispensado em 1992 passou depois sem grande brilho por Boavista, Braga, Estoril, Lusitanos de St. Maur e Beira Mar, terminando a carreira em 1999. “Abraçou” então a carreira de treinador. Esteve no Estoril, em Moçambique e no Portimonense, que conseguiu subir ao principal escalão do Futebol português em 2009/10. Depois esteve no Leixões e em 2012 foi treinar para Moçambique, onde foi campeão no Liga Desportiva de Maputo.

Em 2006 disse numa entrevista que pretendia um dia regressar a Alvalade, “mas pela porta grande”. Ainda não aconteceu, mas pelas capacidades que tem demonstrado é sempre uma hipótese em aberto.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário