Carlos Alhinho – Melhor cabo-verdiano do séc. XX brilhou em Alvalade

Carlos Alexandre Fortes Alhinho nasceu a 10 de Janeiro de 1949 na cidade de Mindelo – Cabo Verde. Veio da sua terra para Portugal (Coimbra) com o intuito de estudar (Engenharia Agrária e Desporto). No futebol da Académica ganhou destaque.

Defesa-central de grandes recursos, muito forte na marcação e no jogo aéreo, chegou ao Sporting no defeso de 1972 estreando-se oficialmente a 22 de Outubro desse ano no Montijo (0-0). Nessa 1ª temporada não foi 1ª escolha para o centro da defesa leonina (Laranjeira e José Carlos – já na parte final da carreira) predominavam, mas ainda assim realizou 22 jogos apontando 1 golo, o seu 1º, no Barreiro frente à CUF (1-0), que valeu o apuramento dos leões para a final da Taça de Portugal que viriam a vencer frente ao Vitória de Setúbal.

Na temporada seguinte, gloriosa para o Sporting, foi o jogador mais utilizado da equipa a par de Damas (42 jogos) fazendo uma dupla de sucesso com Bastos. Em 1974/75, a sua última época, voltou a ser um dos mais utilizados, a par de Damas e Vagner (37 jogos).

O seu último jogo oficial pelos leões foi realizado a 29 de Maio de 1975 na meia-final da Taça de Portugal, no Bessa (0-1 ap).

No total esteve 3 épocas no Sporting realizando 101 jogos e apontando 3 golos. Ganhou 1 Campeonato Nacional e duas Taças de Portugal.

Saiu do Sporting para o FC Porto no Verão de 1974 por desinteligências com a direção do clube. Esteve depois, entre outros emblemas, no Bétis e no Benfica (foi um dos poucos futebolistas que alinhou nos “3 grandes” do nosso Futebol).

15 vezes internacional A por Portugal, foi considerado o melhor futebolista cabo-verdiano do séc. XX.

Acabada a carreira de futebolista abraçou a de treinador, passando pelas seleções de Cabo Verde, Angola (onde chegou à CAN), Qatar, Bahrain e Arábia Saudita. Treinou também clubes como o Lusitano de Évora, Académico de Viseu (subiu à 1ª divisão), Penafiel, Portimonense, FAR Rabat, Badajoz, ASA, Petro de Luanda e 1º de Maio. Estava precisamente ao serviço deste último emblema quando, a 31 de Maio de 2008, morreu vítima dum acidente bizarro ao cair no poço dum elevador dum hotel em Benguela…

Post to Twitter

Deixe o seu comentário