2005 – Recuperação fantástica frente ao Newcastle

14 de Abril de 2005. O Sporting chegara aos quartos-de-final da Taça UEFA, onde teve pela frente, de novo, a turma do Newcastle, a quem já vencera esta época no torneio de pré-temporada disputado na cidade inglesa e com quem empatara “fora” na fase de grupos. O 1º jogo, disputado em Inglaterra, saldou-se por uma derrota “cruel” por 1-0, numa partida em que o Sporting até merecia ganhar pelo futebol produzido. Jogar em casa na 2ª mão com 0-1 na eliminatória é sempre muito perigoso (ainda por cima sem o goleador Liedson, castigado), e pior se tornou o cenário quando, logo aos 19 minutos, e totalmente contra a corrente do jogo, os ingleses se colocaram a vencer no Alvalade. O que se passou depois não estaria, com toda a certeza, nas previsões de muitos. O Sporting arrancou para uma exibição fantástica (uma das melhores do seu historial europeu) e conseguiu triunfar por um claro 4-1, que levou a equipa às meias-finais. Niculae fez, aos 40 minutos, o 1-1 (o seu último golo de verde e branco) – para o romeno foi o maior momento de glória duma época em que teve um rendimento muito baixo. O intervalo chegou com o empate, mas na 2ª parte, sem nunca entrar em desespero, a turma leonina fez uns últimos minutos fantásticos, marcando por Sá Pinto aos 70, Beto aos 77 (foto – uma cabeçada na sequência dum canto que virou a eliminatória) e Rochemback aos 90. A turma leonina, orientada por José Peseiro, alinhou com: Ricardo; Rogério, Beto, Anderson Polga e Rui Jorge; Rochemback; Sá Pinto (Custódio), João Moutinho e Carlos Martins...

1991 – Exibição vibrante frente ao Bolonha

20 de Março de 1991. Único representante que restava entre as equipas portuguesas na Europa do Futebol, o Sporting recebeu o Bolonha em jogo a contar para a 2ª mão dos quartos-de-final da Taça UEFA após um empate 1-1 em Itália. Comandados por Marinho Peres, os leões alinharam com: Ivkovic; Carlos Xavier, Luizinho, Venâncio e Leal; Oceano; Litos (Mário Jorge 85), Douglas (Careca 82) e Filipe; Gomes e Cadete. O Sporting entrou a jogar com grande pendor ofensivo. Filipe marcou um belo golo logo nos primeiros minutos mas o árbitro francês Joel Quiniou anulou-o por fora de jogo posicional de Cadete. Os leões continuaram a porfiar e a criar oportunidades e, pouco depois, após um canto, Leal rematou à meia volta com espetáculo mas o guardião italiano executou uma bela defesa. Aos 19 minutos Douglas saiu com a bola (ele era o “patrão” do meio campo sportinguista), abriu em Carlos Xavier na direita e este, com um cruzamento largo para a área, encontrou a cabeça de Cadete que fez o 1-0. Poucos minutos se passaram e Carlos Xavier atirou ao poste num livre indireto dentro da área transalpina. Nos últimos minutos da 1ª parte os italianos tiveram o seu melhor período, mas Leal numa ocasião e Carlos Xavier noutra “salvaram” os leões. Entretanto, antes do descanso, Cadete (por duas vezes) e Leal estiveram perto de aumentar a contagem. Na 2ª parte o Sporting continuou à procura do golo, mas Cadete (muito solicitado) não estava em dia de grande inspiração. Aos 79 minutos Filipe (na foto) trocou muito bem com Litos, recebeu mais à frente e sofreu grande penalidade. Na conversão...

2005 – Douala e Barbosa (último golo da carreira) decidiram frente ao Middlesbrough

17 de Março de 2005. Depois duma vitória por 3-2 em Middlesbrough o Sporting recebeu em Alvalade os ingleses para a 2ª mão dos oitavos-de-final da Taça UEFA. Este foi o jogo 197 e a vitória 84 dos leões em provas europeias. A turma de José Peseiro alinhou com: Ricardo; Rogério, Hugo (Douala 33), Enakarhire e Rui Jorge; Beto; Pedro Barbosa (Carlos Martins 90), João Moutinho e Hugo Viana; Sá Pinto e Liedson (Niculae 88). O Sporting entrou com o conforto de saber que, mesmo perdendo por 1-0 passava a eliminatória. Ainda assim os leões começaram com intenção atacante criando algumas jogadas junto à defesa dos visitantes. Apesar de tudo, aos 16 minutos, após um erro de Ricardo, Rui Jorge salvou sobre a linha um golo que parecia certo de Nemeth. Os verde e brancos continuaram a ter o predomínio do jogo, mas apesar de criarem algum alvoroço na defensiva contrária escasseavam as verdadeiras oportunidades de golo. Aos 50 minutos, após um erro clamoroso de Ricardo, Job, com a baliza aberta, atirou ao lado. Com o decorrer do tempo o Sporting parecia cada vez mais confortável no jogo, mas Schwarzer, o guardião forasteiro, respondia sempre com grande segurança. Os últimos minutos foram emotivos. Aos 86, de livre direto, Hugo Viana quase marcou, mas Schwarzer voou e fez uma grande defesa. Aos 89 Pedro Barbosa fez o único golo da partida no momento “mágico” da noite. Douala, em excelente lance individual, conseguiu chegar à linha de fundo pela esquerda e centrou para o “capitão”, que, em queda, rematou certeiro para o fundo das redes. Acrescente-se que este foi o último dos 52 golos...

2008 – Pereirinha em destaque na vitória sobre o Bolton

13 de Março de 2008. Depois dum empate a uma bola em Inglaterra (golo de Vukcevic), o Sporting, de Paulo Bento, recebeu os ingleses em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça UEFA. Este foi o jogo 222 e a 93ª vitória do Sporting na Europa do Futebol. A equipa: Rui Patrício; Abel, Tonel, Anderson Polga e Grimi; João Moutinho; Pereirinha, Romagnoli (Rodrigo Tiuí 66) e Izmailov (Gladstone 87); Vukcevic (Adrien 75) e Liedson. O Sporting entrou em Alvalade com vantagem (o 0-0 chegava para seguir em frente) mas nem por isso os pupilos de Paulo Bento deixaram de ser a equipa mais ofensiva e com mais hipóteses de chegar ao golo. Em termos defensivos os leões estiveram em plano muito alto não permitindo veleidades às “torres” adversárias. Ainda assim o tempo foi passando e o resultado mantinha-se inalterado, pelo que Paulo Bento optou por alguma contenção no último quarto-de-hora ao lançar Adrien Silva e adiantar Moutinho. Finalmente, a 5 minutos do fim, Bruno Pereirinha (foto) apontou o golo solitário da partida, e diga-se que, mais ninguém do que ele merecia essa alegria pois foi claramente o melhor homem em campo....

2005 – Muita classe em Middlesbrough

10 de Março de 2005. Em jogo a contar para a 1ª mão dos oitavos-de-final da Taça UEFA, o Sporting de José Peseiro deslocou-se a Middlesbrough para defrontar a equipa local no Riverside Stadium perante cerca de 35.000 espectadores. Este foi o 196º jogo e a 83ª vitória do Sporting na Europa do Futebol. Os leões alinharam com: Ricardo; Rogério, Hugo, Enakarhire e Rui Jorge; Rochemback; Pedro Barbosa (Rodrigo Tello 78), João Moutinho e Hugo Viana; Liedson (Sá Pinto 78) e Douala (Beto 90). O Sporting entrou bem numa partida muito disputada durante a 1ª parte. Bola cá, bola lá, algum perigo nas duas balizas, mas nada de golos até ao intervalo. No 2º tempo os sportinguistas entraram ainda mais fortes e Pedro Barbosa inaugurou o marcador aos 49 minutos. Com o golo mais a equipa verde e branca se empolgou e Liedson, 4 minutos depois, aumentou a contagem. A eliminatória pareceu ficar decidida com o 3-0 pelo rapidíssimo Douala aos 65 minutos, mas uma fortíssima reação dos ingleses, que conseguiram reduzir aos 79 e 86 minutos por Job e Riggot deixou alguma expetativa para Alvalade. De facto, com exceção dos 15 minutos finais onde a equipa “tremeu” um pouco, o Sporting realizou mais uma bela exibição na caminhada para a final da prova que se disputaria em Alvalade....

2005 – “Sexy football” na “banheira de Roterdão”

24 de Fevereiro de 2005. Depois de ter vencido em Alvalade por um “perigoso” 2-1, o Sporting, orientado por José Peseiro, foi à “banheira de Roterdão” (jogar a 2ª mão dos 1/16 final da Taça UEFA) dar uma enorme demonstração de personalidade no seu 195º jogo e 82ª vitória na Europa A equipa: Ricardo; Rogério, Enakarhire, Hugo (Miguel Garcia 75) e Rui Jorge; Rochemback; Carlos Martins (Douala 75), João Moutinho e Pedro Barbosa; Sá Pinto (Hugo Viana 87) e Liedson. Ruud Gullit (técnico dos holandeses) tinha dito no lançamento da eliminatória que o Sporting jogava um “sexy football” e a verdade é que os leões tiveram um desempenho de grande classe. Rogério esteve na origem do 1º grande lance de perigo do jogo com uma excelente abertura para Sá Pinto, que rematou em boa posição para defesa atenta de Lodewijks para fora. Na marcação do canto Hugo, ao 2º poste, rematou ligeiramente ao lado da baliza holandesa. A partir do quarto-de-hora os holandeses “apertaram um pouco”, mas os leões, em rápidos contra-ataques, causavam calafrios constantes na defensiva do Feyenoord. Para a 2ª parte o Sporting voltou a entrar melhor e Liedson esteve perto de marcar, de cabeça, após livre de Carlos Martins (grande exibição). Aos 62 minutos o “Levezinho” marcou mesmo com um chapéu magnífico depois de mais um bom passe de Martins. Os adeptos holandeses reagiram mal ao desenrolar dos acontecimentos e o jogo teve mesmo de estar interrompido… Minutos depois um excelente remate de Pedro Barbosa proporcionou grande defesa a Lodewijks, para a seguir Rochemback marcar superiormente um livre direto (aos 84 minutos) fazendo o 2-0 e resolvendo de...

2008 – Bom futebol e golos em Basileia

21 de Fevereiro de 2008. Depois ter ganho na 1ª mão em Alvalade por 2-0 (bis de Vukcevic), o Sporting de Paulo Bento foi a Basileia fazer o seu 220º nas Competições Europeias (a contar para os 1/16 final da Taça UEFA) com algum conforto, conseguindo obter a sua 92ª vitória na Europa. A equipa: Rui Patrício; Abel, Tonel, Anderson Polga (Gladstone 54) e Grimi (Ronny 68); Miguel Veloso; Pereirinha, Romagnoli (Farnerud (59) e João Moutinho; Rodrigo Tiuí e Liedson. Paulo Bento tinha chamado a atenção para o facto de 1 golo do Sporting “acabar” praticamente com a eliminatória. Logo aos 2 minutos, no lado esquerdo do ataque, Moutinho levantou a cabeça, viu a desmarcação de Pereirinha, e com uma assistência perfeita permitiu ao jovem médio ala chutar colocado de pé direito fazendo um belo golo. Aos 10 minutos, Eduardo, após um falhanço de Tonel, atirou por cima. Os suíços arriscavam cada vez mais e sobrava espaço para os contra-ataques leoninos. Depois do guarda-redes Crayton quase ter dado uma fífia num remate de Romagnoli, Rui Patrício saiu com coragem aos pés de Eduardo evitando o golo do empate. João Moutinho destacava-se, assumia o papel de “patrão” da equipa, iniciando ataques, ajudando na defesa e tentando servir sempre os jogadores mais adiantados. Aos 36 minutos Patrício fez mais uma bela defesa, impedido o golo de Ergic. Antes do intervalo Liedson resolveu de vez o jogo com um chapéu magnífico a Crayton. Depois Patrício voltou a negar o golo do Basileia. Para a 2ª parte o Sporting entrou com afinco e Liedson sentenciou a partida com o 3-0 aos 51 minutos. Os adeptos...

Carlos Xavier e Gomes marcaram num belo triunfo em Arnhem

28 de Novembro de 1990. Nesse dia o Sporting (comandado por Marinho Peres) fez ouvir mais uma vez o “rugido de leão” na Taça UEFA, num percurso europeu que estava a ser de grande qualidade. Cerca de 3.000 adeptos leoninos estiveram presentes em Arnhem, perante um adversário que afastara claramente o Dundee United da Escócia na ronda anterior. A equipa: Ivkovic; Carlos Xavier (João Luiz), Venâncio, Miguel e Leal; Oceano (Bozinowski); Litos, Douglas e Filipe; Cadete e Gomes. O Sporting começou bem o jogo, explorando a velocidade para sair em rápidas transições ofensivas. Os leões conseguiam controlar perfeitamente a partida perante uma equipa local nervosa. Aos 24 minutos, com um remate forte, de longe, que bateu num adversário traindo o guardião local, Carlos Xavier inaugurou o marcador. 6 minutos depois Oceano lesionou-se, sendo substituido pelo australiano Bozinowski. Apesar da falta do “coração” do seu meio campo, os verde e brancos não se pareciam ressentir, e aos 36 minutos, após uma arrancada de Carlos Xavier pela direita e centro magnífico, Gomes surgiu fulgurante ao primeiro poste a cabecear para o fundo das redes. Até final os leões controlaram perfeitamente a situação, alcançando um triunfo que os deixava com grandes hipóteses de seguir para os quartos-de-final da competição. Este foi o jogo 130 e a 55ª vitória do Sporting nas Competições Europeias de Futebol. Foto: Cadete em ação na partida em Arnhem....

Cadete e Cherbakov a brilharem na UEFA numa equipa que prometia

3 de Novembro de 1993. Este Sporting prometia muito. Depois de ultrapassar sem grande brilhantismo os turcos do Kocaelispor (0-0 e 2-0), os leões defrontaram o Celtic de Glasgow nos 1/16 final da Taça UEFA. Na 1ª partida, na Escócia, belíssima exibição do Sporting, que criou várias oportunidades para marcar e mostrou personalidade forte, perante um adversário que lhe foi quase sempre inferior. Apesar de tudo os leões regressaram a Lisboa com uma derrota por 1-0, que deixava tudo em aberto. 15 dias depois, em Alvalade, grande entusiasmo para o encontro da 2ª mão. A equipa escalada por Bobby Robson: Costinha; Nélson, Peixe, Stan Valckx e Paulo Torres; Paulo Sousa; Figo, Cherbakov, Balakov e Filipe (Capucho); Cadete (Leal). O Sporting entrou em campo com a firme disposição de virar a eliminatória, remetendo os escoceses a uma toada de contra-ataque. Ambos os laterais mostraram uma grande propensão para subir no terreno. Paulo Sousa transportava jogo, muito bem secundado por Figo, Cherbakov e Filipe, enquanto Balakov jogava bem próximo de Cadete. Alinhando com grande velocidade, o Sporting confundiu por diversas vezes a defensiva contrária, salientando-se a prestação de Cherbakov, a fazer um magnífico início de época. Os escoceses apresentaram-se com a “lição bem estudada”, tentando fazer 1 golo que os poria com grande vantagem na eliminatória. Como corolário do seu domínio o Sporting inaugurou o marcador aos 18 minutos. Após um passe fantástico de Cherbakov, Cadete fugiu aos centrais contrários e com grande calma, à saída do experiente Pat Bonner, fez-lhe passar a bola sob o corpo obtendo um belo golo. O Sporting ganhou confiança e os escoceses procuraram subir no terreno,...

75ª vitória nas Competições Europeias com 6-1 ao Halmstad

1 de Novembro de 2001. Dezasseis-avos de final da Taça UEFA, Alvalade. O Sporting já tinha ganho na Suécia por 1-0 (golo de Niculae) e agora havia que confirmar a passagem à próxima eliminatória da competição. A equipa de Laszlo Bölöni parecia finalmente encarreirar para uma grande temporada. Jardel já tinha chegado e marcava golos a uma cadência impressionante. Nessa noite, na receção ao Halmstad, a equipa: Tiago; César Prates, Beto (Hugo Viana 72), Phil Babb e Rui Jorge (Rodrigo Tello 72); Paulo Bento e André Cruz; Sá Pinto (Pedro Barbosa 60) e João Pinto; Niculae e Jardel. Os leões apresentaram-se duma forma extremamente ofensiva, com César Prates e Rui Jorge a subirem muito no terreno – fazendo as alas, André Cruz a meio-campo, Sá Pinto e João Pinto no apoio aos 2 pontas-de-lança Niculae e Jardel. Um penalty do goleador brasileiro abriu o ativo aos 29 minutos. João Pinto aumentou a contagem aos 38 (com uma cabeçada fantástica a cruzamento de André Cruz), mas, ainda antes do intervalo, os suecos reduziram. Na 2ª parte o Sporting realizou uma grande partida, encurralando os nórdicos na sua defesa. Aos 60 minutos Sá Pinto voltou a lesionar-se gravemente (vivia uma fase problemática na sua carreira, com lesões contínuas). Pedro Barbosa entrou em jogo e Niculae marcou pouco depois o 3-1. Aos 68 Paulo Bento fez o seu 1º golo de verde e branco – com um remate magnífico de efeito, era o 4-1. Aos 72 minutos entraram na equipa Hugo Viana e Tello, passando o Sporting a jogar num mais convencional 4-4-2. Logo a seguir Jardel marcou o 5-1 para repetir o feito...
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.