1979 – Equipa homogénea bisou na TCE de Crosse

4 de Fevereiro de 1979. O Sporting obteve a sua 2ª vitória consecutiva na Taça dos Campeões Europeus de Crosse (depois de 1977, agora 1979, pois a prova não se realizou em 78). Os protagonistas foram Fernando Mamede em 3º, Aniceto Simões em 7º, Carlos Lopes em 8º, Rafael Marques em 25º e Fernando Miguel em 28º.

O Sporting conquistou a competição disputada em Arlon mostrando uma superioridade marcante atuando com serenidade e fazendo uso de uma ótima tática.

O circuito apresentava péssimas condições, com gelo em muitos sítios e numerosas covas. Não nevou, mas fazia 7 graus negativos. Depois de cortada a meta, com as lágrimas correndo-lhe na cara, Fernando Mamede, o melhor sportinguista, afirmou dedicar “esta vitória a todos os que não acreditam em nós lá em Portugal, a todos os que nada fazem a nosso favor, a todos que não se interessam por nós. É a esses todos que estão contra nós que dedicamos esta vitória”.

O Sporting acabou por totalizar 18 pontos, menos 3 que o Liège da Bélgica.

Terminada a corrida, e já tranquilo, Moniz Pereira afirmou: “Esperava ganhar esta prova, mas tenho que admitir que apanhei um bom susto de início. Embora, bem vistas as coisas, possa considerar este triunfo como um triunfo da tática, dado que se primou em não ir em loucas correrias iniciais, obstando a um desgaste que apareceria, nesse caso, muito cedo. Não posso deixar de considerar muito boa a prova do Carlos Lopes que mostrou bem que dentro de 1 mês temos homem. Acabou por ser uma vitória justa, da melhor equipa, como se diz no futebol, mas muito saborosa, porque sabe sempre bem ganhar em casa deles, e neste caso derrotámos a equipa belga em terreno e condições de tempo que a favoreciam inteiramente. Na forja de Alvalade tenho lá mais atletas, que me permitem ter a esperança que o Sporting continue a manter o domínio do corta-mato europeu”. Premonitório…

O Sporting venceu assim a sua 4ª taça europeia, 3ª de campeões, 2ª no Crosse.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário