Cristiano Ronaldo – O “super-puto”

Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro nasceu a 5 de Fevereiro de 1985 em Stº António – Funchal. Desde sempre que o futebol lhe correu no sangue. Só queria bolas de presente e começou muito cedo a jogar num clube chamado Andorinha. Passou depois para o Nacional da Madeira, mas lá só permaneceu 1 ano, pois aos 11 foi detetado pelo Sporting.

Nas camadas jovens dos leões logo se começou a destacar apesar das naturais dificuldades de adaptação de quem tinha saído de casa tão jovem para uma realidade completamente diferente. Cedo começou a jogar nas seleções nacionais, normalmente no escalão acima do seu.

O romeno Laszlo Bölöni chegou para treinar o Sporting no Verão de 2001 e pouco depois apercebeu-se do “diamante” que tinha nas camadas jovens. Ainda assim preferiu mantê-lo nos juniores, lançando-o só na temporada seguinte.

Estreou-se oficialmente a 14 de Agosto de 2002 num Sporting-Inter de Milão (0-0) para a pré-eliminatória da Liga dos Campeões.  Marcou o 1º golo a 7 de Outubro num Sporting-Moreirense (3-0) para o Campeonato – aliás, bisou nesse jogo, sendo 1 dos golos (de grande espetáculo) prenunciador daquilo em que se viria a transformar como futebolista. Durante a época foi ganhando destaque e protagonismo na equipa, tornando-se, naturalmente, a sua grande revelação.

Fez a pré-temporada seguinte com os leões, mas uma exibição fantástica na inauguração do novo Estádio Alvalade frente ao Manchester United (3-1) levou o clube inglês a contratá-lo de imediato por cerca de 15 milhões de euros – ao que se diz já havia entendimento entre o Sporting e o Manchester para a transferência do jovem prodígio, mas ela só se realizaria na temporada seguinte…

Assim, o seu último jogo oficial de verde e branco realizou-se nas Antas (0-2) na última jornada do Campeonato Nacional a 1 de Junho de 2003. No total esteve apenas uma época nos seniores do Sporting, realizando 31 jogos e marcando 5 golos.

Por Inglaterra alinhou com a mítica camisola 7 dos “red devils” e desde o início demonstrou todas as suas capacidades de verdadeiro fora-de-série. Pouco a pouco foi sendo utilizado mais no centro do ataque do que como extremo puro e isso fez exponenciar a sua capacidade de finalização (a sua média de golos é impressionante). Em 2008 (31 golos) foi “Bota de Ouro” (melhor marcador dos campeonatos europeus)  e “Bola de Ouro” (3º português a conseguir o feito depois de Eusébio e Figo). No defeso de 2009 mudou-se para o Real Madrid onde continua, jogo após jogo, a provar a sua enorme categoria. Em 2011 (40 golos) foi novamente “Bota de Ouro” e em 2013 ganhou pela 2ª vez a “Bola de Ouro”, feito que repetiu em 2014 e 2016. Entretanto já chegou também às 4 botas de ouro, pois ganhou em 2014 (31 golos) e 2015 (48 golos).

Na seleção portuguesa é sempre um dos principais destaques, tendo chegado inclusivamente a capitão. O ponto alto atingiu-o em 2016 com a conquista do Campeonato da Europa.

Já ganhou tudo o que havia para ganhar a nível individual e coletivo. A maioria já o considera o melhor futebolista português de sempre e uma das principais figuras da História do futebol mundial.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário