Mário Jorge

Mário Jorge da Silva Pinho Fernandes nasceu a 24 de Agosto de 1961 em Ponta Delgada – Açores. Oriundo das camadas jovens do Sporting, estreou-se oficialmente a 12 de Setembro de 1979 (pela mão de Rodrigues Dias) numa receção ao Estoril (2-0) para o Campeonato Nacional. Essa seria, aliás, a sua única presença numa temporada em que os leões se sagraram campeões nacionais.

No ano seguinte voltou a jogar muito pouco, mas a chegada de Malcolm Allison para treinador, em 1981/82, lançou-o definitivamente. O técnico inglês era um verdadeiro fã do seu virtuosismo pela ala esquerda e ficou célebre o jogo importantíssimo frente ao FC Porto em que Allison o colocou no lugar de Jordão. A verdade é que o Sporting venceu por 1-0 e o golo foi de… Mário Jorge! Jordão voltou logo no jogo seguinte mas o canhoto rapidamente ganhou um lugar na equipa. Aliás foi ele o futebolista mais utilizado no posto de defesa esquerdo nessa época em que o Sporting fez a “dobradinha”.

Entre os postos de lateral esquerdo, médio ala esquerdo ou mesmo no centro do meio campo, construiu uma carreira muito interessante no Sporting, apesar de ter ficado a ideia de que, com as suas enormes potencialidades (técnica prodigiosa, sentido de passe magnífico e ótimas condições físicas), poderia ter assumido ainda mais protagonismo.

A sua partida mais marcante terá sido a dos inesquecíveis 7-1 ao Benfica, a 14 de Dezembro de 1986, na qual marcou 2 golos e contribuiu em larga escala para uma verdadeira avalanche de futebol ofensivo sobre os encarnados.

Manteve-se  durante muitos anos como um dos jogadores mais utilizados da equipa, mas em 1988/89 perdeu espaço e acabou por ser emprestado na temporada seguinte ao Beira Mar. Em 1990/91, com Marinho Peres, regressou para fazer a sua derradeira época de verde e branco, tendo obtido o último golo em Aveiro, frente ao Beira Mar, que valeu o triunfo por 1-0, a 19 de Maio de 1991. Uma semana depois jogou pela última vez, frente ao Gil Vicente (2-0).

Somou 11 épocas, 263 jogos oficiais e 22 golos pelo Sporting. Ganhou 2 Campeonatos Nacionais, uma Taça de Portugal e duas Supertaças.

Depois passou por Estrela da Amadora e Estoril (onde terminou a carreira em 1995).

Foi 9 vezes internacional A, tendo feito provavelmente a sua melhor exibição de sempre por Portugal no famoso jogo que valeu a qualificação para o Mundial do México (1986) na Alemanha, em que a nossa seleção triunfou por 1-0 com um golo de Carlos Manuel e uma prestação magnífica de Mário Jorge.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário