Veríssimo

Veríssimo Martins Alves nasceu a 1 de Maio de 1920 na Calçada de Sete Moinhos na freguesia de Santa Isabel, junto a Campolide.

Aos 15 anos começou a jogar futebol no Santana FC, mas aos 18 passou-se para o Águias de Campolide onde já alinhavam 3 dos seus irmãos. Mais tarde um deles – Edmundo, sportinguista ferrenho, levou-o a prestar provas no Sporting, num domingo, no Campo Grande. O “mestre” Josef Szabo experimentou-o a médio-esquerdo na equipa da reserva para marcar Pedro Pireza, que nas primeiras jogadas fez o que quis! A pouco e pouco Veríssimo foi entrando em ação, obrigando Szabo a dizer: “Minino, não magoar sinhores. Eu precisar deles para jogar Domingo!” A verdade é que agradou e ficou, passando a treinar assiduamente numa altura em que trabalhava na construção civil.

Estreou-se oficialmente a 29 de Março de 1942 num Olhanense-Sporting (1-6) para o Campeonato Nacional (foi o seu único jogo da temporada). Na época seguinte também não convenceu e por isso acabou emprestado por 2 anos ao Sp. Braga onde conseguiu mostrar todo o seu valor. Com naturalidade regressou ao Sporting para a época 1944/45. A 17 de Dezembro de 1944, frente ao Olhanense (2-0) marcou o seu 1º golo e durante toda a temporada foi pedra basilar no meio-campo leonino, acumulando 36 presenças (o mais utilizado da equipa) e contribuindo para os triunfos no Regional e na Taça de Portugal.

Daí para a frente foi sempre uma das referências da equipa, pelo que ficou mais 8 anos no clube, com grande sucesso.

Num total de 11 épocas de “leão ao peito” Veríssimo fez 217 jogos e marcou 10 golos. Venceu 13 títulos (6 Campeonatos Nacionais, 3 Taças de Portugal e 4 Campeonatos Regionais de Lisboa). Formou, à esquerda de Canário e Manecas, um meio-campo fortíssimo que amparava convenientemente as diabruras dos “cinco violinos”. Jogador raçudo e muito eficaz, preenchia os requisitos de qualquer treinador.

Despediu-se a 8 de Dezembro de 1952 no Sporting-Sp. Covilhã (3-0) da 9ª jornada do Campeonato Nacional e foi homenageado no final da temporada, a 6 de Setembro, numa partida com o Benfica. Mais tarde alinhou ainda no Lusitano de Évora e no Coruchense.

Morreu a 15 de Outubro de 1982.

Post to Twitter

Comments (2)

 

  1. Manuel Tomaz says:

    Fui à sua festa de despedida no estádio de Alvalade.

  2. pedro verissimo says:

    é com muito orgulho que sou neto deste homem !!

Deixe o seu comentário