Nogueira – Todas as virtudes dum grande centrocampista

António Manuel da Costa Nogueira nasceu a 10 de Julho de 1951 em Lisboa. Começou por dar nas vistas no Atlético CP onde permaneceu vários anos (inclusivamente na 1ª divisão). Depois esteve no Braga e no Boavista, mas foi em 2 anos no Belenenses que atingiu um patamar muito elevado chegando à Seleção Nacional – que representou por uma vez (marcou no triunfo por 2-0 sobre a Espanha numa altura em que já se sabia que iria para o Sporting).

Chegou a Alvalade aos 30 anos, no Verão de 1981, mas ainda a tempo de se destacar no clube. Estreou-se oficialmente (com Malcolm Allison) a 30 de Agosto (e logo com 1 golo) num triunfo em Viseu por 2-0 para a 2ª jornada do Campeonato Nacional. Foi uma das peças fundamentais na equipa de Allison que conquistou a “dobradinha” ao realizar 34 jogos oficiais (2 golos), e formar com Virgílio e Ademar um meio campo de combate que suportava o génio dos 3 homens mais adiantados (Oliveira, Manuel Fernandes e Jordão).

Na temporada seguinte (apesar da chegada dos reforços Kostov e Festas – para o mesmo setor em que alinhava) voltou a ser muito utilizado (32 jogos), mas acabou por sair no final duma campanha em que os leões triunfaram apenas na Supertaça (em início de época). A 5 de Junho de 1983 jogou pela última vez com o “leão ao peito” num Sporting-Vitória de Guimarães (1-0) a contar para a última jornada do Campeonato.

Nas duas épocas em que equipou de verde e branco realizou 66 jogos oficiais e marcou 2 golos. Ganhou 1 Campeonato Nacional, uma Taça de Portugal e uma Supertaça. Apesar de ter estado apenas duas épocas no clube deixou uma imagem forte de centrocampista tremendamente competitivo, de muita força, mas que ao mesmo tempo era detentor de ótimas capacidades técnicas e táticas.

Depois da sua saída do Sporting alinhou no Recreio de Águeda – onde permaneceu 4 temporadas antes de terminar a carreira.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário