Pacheco Nobre – Alternativa às “estrelas” da época

Mário Fernando Ribeiro Pacheco Nobre nasceu a 22 de Setembro de 1925 no Barreiro. Destacou-se desde muito cedo no clube local e o Sporting contratou-o no Verão de 1944.

Estreou-se oficialmente (com o treinador Jozef Szabo) a 20 de Dezembro de 1944 numa surpreendente derrota em casa por 3-0 frente ao Atlético CP em partida a contar para a 7ª jornada do Campeonato Regional (que o Sporting venceu). Marcou o 1º golo na temporada seguinte, a 7 de Abril de 1946, num triunfo em Setúbal por 7-0 à 16ª jornada do Campeonato Nacional.

Interior-direito de bons recursos tinha, no entanto, demasiada concorrência no Sporting, pelo que rumou à Académica onde passou 4 bons anos (chegou até a internacional A), sagrando-se campeão nacional da 2ª divisão em 1949.

Com alguma surpresa regressou ao Sporting em 1950. Voltou a jogar pouco mas foi duas vezes campeão (no início da saga do 1º tetra-Campeonato do futebol português)! Acrescente-se ainda que marcou um dos golos num histórico Sporting-Benfica em que se verificou a maior goleada de sempre entre os 2 rivais (8-1 – na homenagem a Manecas) a 5 de Outubro de 1950.

Fez o seu último golo de verde e branco numa meia-final da Taça de Portugal (5-2 ao Porto) a 11 de Junho de 1952. O jogo derradeiro fê-lo a 25 de Junho na meia-final da Taça Latina perante o Nice (2-4).

Assim, no total, jogou 4 temporadas na equipa principal de futebol do Sporting (1944/45, 1945/46, 1950/51 e 1951/52), habitualmente na posição de interior-direito. Totalizou 17 jogos oficiais e marcou 4 golos. Ganhou 2 Campeonatos Nacionais, duas Taças de Portugal e 1 Campeonato Regional de Lisboa.

Morreu a 17 de Outubro de 2018.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário