Rodrigo Garrido – “Voava” sobre duas rodas

Entre 1930 e 1935 Rodrigo Garrido impôs-se com grande classe em quase todas as provas de Ciclismo de velocidade em que participou.

A 14 de Setembro de 1930 obteve o seu 1º grande triunfo, ao dominar o Regional de velocidade. Uma semana depois, na Avenida Todi, em Setúbal (perante grande assistência), levou a melhor sobre o companheiro de equipa João de Sousa.

Em 18 de Outubro de 1931 voltou a ser campeão regional (derrotando de novo João de Sousa), para a 8 de Novembro de sagrar bi-campeão nacional, desta vez deixando Alfredo de Sousa em 2º.

O grande rival do seu tempo foi Francisco Assunção e Silva, outro ciclista velocíssimo e que também corria no Sporting. A 2 de Outubro de 1932 Garrido levou a melhor sobre Assunção e Silva, vencendo o seu 3º Regional de velocidade consecutivo. O mesmo aconteceu 3 semanas depois no Nacional, por uma diferença de uma roda.

Por estes anos, no final da Volta a Portugal, realizava-se um Festival com provas de velocidade. A 20 de Agosto de 1933, no Estádio do Lumiar, Francisco Garrido foi (desta vez) batido por Assunção e Silva. No entanto, o melhor estava para vir, e Garrido voltou a” impor a sua lei” no Distrital e no Nacional (sempre perante Assunção e Silva), neste caso, e segundo o jornal “Os Sports”, “com um sprint verdadeiramente fenomenal”.

A 15 de Julho de 1934, aquilo que já parecia uma inevitabilidade aconteceu, Rodrigo Garrido foi pela 5ª vez consecutiva campeão regional de velocidade (outra vez com Assunção e Silva em 2º). Partiu, por isso, como favorito (era tetra-campeão) para o Nacional a realizar no “Stadium”. No entanto, após várias eliminatórias, foi Assunção e Silva a vencer (numa final a duas mãos), primeiro apenas por alguns centímetros, mas depois por comprimento e meio de bicicleta. O “reinado” acabara…

Ainda assim, e já numa fase descendente da carreira, Rodrigo Garrido obteve o seu último grande triunfo no Regional de velocidade de Maio de 1935 (6ª vitória consecutiva!). Na grande final do Nacional voltou a ser derrotado por Assunção e Silva, de novo em duas mãos, primeiro por meia roda e depois por meio comprimento de bicicleta.

Em suma, entre 1930 e 1935, Rodrigo Garrido foi o “rei” da velocidade em Portugal, amealhando 4 Campeonatos Nacionais (consecutivos) e 6 Regionais (também consecutivos) ficando para sempre na História do Ciclismo do Sporting e de Portugal.

Post to Twitter

Comments (3)

 

  1. Uma pergunta:
    Qual a naturalidade de Rodrigo Garrido e Assunção e Silva?
    Porventura, sabem? Obrigado.
    Saudações leoninas.

  2. sporting canal says:

    muito obrigado:)

  3. Parabéns pelos vossos excelentes artigos históricos sobre ciclismo.
    Bem Hajam!
    Sporting… SEMPRE!

Deixe o seu comentário