Morais

João Pedro Morais nasceu a 6 de Março de 1935 em Cascais. Começou a jogar futebol no Torreense e chegou ao Sporting após o final da temporada 1957/58, tendo-se apresentado a 31 de Maio num jogo frente ao Vasco da Gama – no qual fez o passe para o golo solitário de Vadinho.

Oficialmente, jogou pela 1ª vez a 14 de Setembro, no Barreiro, na 1ª jornada do Campeonato Nacional (1-0). O seu 1º golo foi apontado a 2 de Novembro numa vitória em Guimarães por 3-1.

Sempre foi muito apreciada a sua capacidade para cruzar, por isso o posto de extremo (sobretudo à esquerda) foi aquele em que mais vezes alinhou. No entanto, necessidades da equipa fizeram-no jogar muitas vezes na defesa e mesmo no meio-campo, tendo-se destacado por uma grande capacidade de adaptação. Aliás, terá sido um dos mais polivalentes futebolistas que passou pelo clube, tendo inclusivamente referido um dia: “Só me faltou jogar a guarda-redes”. Também por esse motivo sempre foi muito utilizado, com exceção das duas últimas épocas.

Fez o golo mais importante da História do Futebol do Sporting, de canto direto, na finalíssima da Taça das Taças de 1963/64, que deu a vitória aos leões frente aos húngaros do MTK Budapeste. Esteve para não alinhar nessa “epopeia”, mas uma lesão do defesa Hilário poucos dias antes (frente ao Vitória de Setúbal) levou a que Anselmo Fernández o convocasse à última hora, facto que o futebolista nunca encarou com “simpatia” e que lhe valeu algumas divergências mais ou menos graves com o arquiteto.

Jogou pela última vez a 20 de Abril de 1969 em S. João da Madeira (2-1). Frente ao mesmo adversário tinha marcado o último golo, a 15 de Dezembro de 1968, que valeu o triunfo.

Apesar de jogar normalmente como extremo, foi duas vezes o melhor marcador da equipa. Em 1961/62 (a par de Diego) com 19 golos e em 1962/63 com 24.

Esteve 11 épocas em Alvalade, realizando 255 jogos nos quais apontou 69 golos. Venceu uma Taça das Taças, 2 Campeonatos Nacionais e uma Taça de Portugal.

Depois andou pela África do Sul e regressou a Portugal para o Rio Ave. Em Vila do Conde se fez treinador (onde nunca teve grande sucesso) radicando-se depois na cidade – onde foi funcionário da Câmara Municipal até à data da sua morte, 27 de Abril de 2010.

vídeo morais

GOLOS de MORAIS ao serviço do SPORTING
ÉPOCA TC TT TF CN TP TOTAL
1958/59 0 - - 3 1 4
1959/60 - - - 2 1 3
1960/61 - - - 0 0 0
1961/62 0 - - 14 5 19
1962/63 2 - - 18 4 24
1963/64 - 2 - 5 0 7
1964/65 - 0 - 3 1 4
1965/66 - - 0 4 1 5
1966/67 0 - - 2 0 2
1967/68 - - 0 0 0 0
1968/69 - - 0 1 0 1
Total 2 2 0 52 13 69

Post to Twitter

Comments (1)

 

  1. claudio nuno says:

    Um dos maiores ícones da história do Sporting Clube de Portugal.

Deixe o seu comentário