2010 – Andebol conquista 1º troféu europeu para Portugal

29 de Maio de 2010. O sonho tornou-se realidade. Depois da vitória por 27-25 no 1º jogo da final da Taça Challenge, o Sporting impôs-se novamente à formação polaca do MMTS Kwidzyn por 27-26 e conquistou o 1º troféu europeu da História do Andebol português.

O treinador Paulo Faria tinha pedido coração e cabeça e os jogadores cumpriram, ainda que por vezes o primeiro se tenha sobreposto à segunda.

“A taça é nossa”, gritaram as bancadas no final de uma hora de emoção, extravasando a tensão acumulada.

O guarda-redes Humberto Gomes ajoelhou-se de olhos fechados e braços erguidos no ar enquanto os companheiros se abraçavam numa emoção partilhada entre os jogadores e adeptos.

Quando o “capitão” Bosko Bjelanovic ergueu a taça as bancadas foram ao rubro. O pavilhão municipal Cidade de Almada esteve a “rebentar pelas costuras”. Havia adeptos nas escadas, nas galerias e em todos os sítios que se possa imaginar. Em qualquer centímetro quadrado cabia mais alguém.

Depois de uma época frustrada no Futebol, a “nação leonina” desforrou-se apoiando a equipa de Andebol no jogo decisivo para a vitória na Taça Challenge. Camisolas, cachecóis, bandeiras e as cada vez mais omnipresentes vuvuzelas – o pavilhão ganhou vida e tudo serviu para incentivar a equipa treinada por Paulo Faria.
O ambiente “explosivo” ajudou a equipa a partir com confiança para o jogo frente a um adversário que criou grandes dificuldades.

Humberto Gomes (a evitar os golos) e Vladimir Petric, Pedro Solha, Fábio Magalhães e João Pinto (a marcá-los) foram as principais unidades da equipa de Paulo Faria, que chegou ao intervalo à frente por 16-9. Na 2ª parte os polacos recuperaram e estiveram perto de empatar, mas o Sporting segurou a vantagem mínima que deu direito ao desejado troféu e à ansiada festa.

A Equipa: Humberto Gomes (gr) e Ricardo Correia (gr); Bosko Bjelanovic (3), Vladimir Petric (6), Pedro Solha (5), Mitja Lesjak (2), João Pinto (5), Fábio Magalhães (4), Carlos Galambas, Bruno Moreira (1), Ricardo Dias, Pedro Seabra (1), Hugo Rocha, e Pedro Portela.

As opiniões dos leões:

O melhor em campo – Humberto Gomes: “Apostámos muito nesta competição e conseguimos conquistá-la. É uma sensação fantástica e estou extremamente feliz por ter entrado para a história do Sporting e do Andebol português”.

O melhor marcador da competição (57 golos) – Pedro Solha: “Estou felicíssimo. Este é um momento histórico para o Sporting, para o país e para todos nós. Não há palavras que expliquem o que me vai na alma, mas a conquista desta taça é algo indiscritível. Agradeço o apoio dos sócios e adeptos. São maravilhosos. Estamos todos de parabéns”.

O treinador – Paulo Faria: “ A grande memória e a imagem que ainda vejo é a do pavilhão e do público, que foi inexcedível, e isso marca muito. Antes de começar o jogo tanto eu como os jogadores já estávamos emocionados. A parte mais importante desta final foi termos ganho na Polónia, essa foi a chave da vitória. Fomos agressivos e estivemos sempre na frente do marcador. Eles mostraram ser uma grande equipa. Perante um ambiente tão adverso conseguiram reagir daquela maneira. Nos últimos minutos cometemos erros por ansiedade, mas o Humberto fez defesas importantes e conseguimos terminar a competição com todos os jogadores a marcarem golos. Isto é importante pois todos tiveram uma participação ativa”.

video

Post to Twitter

Comments (1)

 

  1. ETeles says:

    Uma pequena correcção: a taça era na altura a 4ª (e última) mais importante para a EHF, sendo agora (com a “união” da Taça EHF e da Taça das Taças) a 3ª mais importante.

    SL

Deixe o seu comentário