Notas várias sobre a fundação do Sporting Clube de Portugal

1 de Julho de 1906. Nesse dia, por insistência de António Félix da Costa Junior (um dos melhores jogadores de Ténis da altura), chegou-se ao definitivo nome Sporting Clube de Portugal. Mais tarde essa foi escolhida como data oficial de fundação do clube.

Meses antes, a 8 de Maio, em Assembleia Geral, elegeu-se a 1ª Direção do clube, constituída pelo visconde de Alvalade (presidente), José Alvalade (vice-presidente), Frederico Seguro Ferreira (tesoureiro), José Gavazzo (primeiro-secretário, substituído por José Stromp logo que se ausentou para Paris) e Henrique Leite (segundo-secretário).
Pode dizer-se que, na verdade, o Sporting fundou-se ainda sem nome. Só em 26 de Maio de 1906 José Alvalade aceitou a sugestão de Alberto Lamarrão e Carlos Carneiro, de Sporting (ao que o fundador pensou prefixar a expressão “Grande”).

O símbolo que representasse o clube começou a ser pensado, curiosamente, mais de meio ano antes. Numa conversa de Verão, José Holtreman Roquette (Alvalade), seu primos José Roquette, António Rebelo de Andrade e D. Fernando de Castelo Branco (Pombeiro) foram inspirados pelo anel com brasão de família de Fernando de Castelo Branco, um leão rompante (que significaria a força de vontade em construir um grande clube) em campo azul, mas todos concordaram na côr verde por representar a esperança no futuro da nova colectividade.

Só os 10 fundadores principais: José Alvalade, José Maria da Ponte e Horta Gavazzo, Frederico Seguro Ferreira, Alfredo Holtreman (visconde de Alvalade), Fernando Soares Cardoso Barbosa, José Stromp, Henrique de Almeida Leite Júnior, João H. Scarlett (John), Eduardo Francisco Quintela de Mendonça (Farrobo) e Afonso Botelho tinham direito a governar o clube. A admissão de sócios também constituía um privilégio, de casta. A votação fazia-se através de bolas brancas e pretas, bastando duas pretas para eliminar qualquer candidato.

Em Assembleia Geral determinou-se que o Ténis seria modalidade prioritária no clube e a única imposta pelos seus estatutos, mas não tardou até que a popularidade do Futebol se fizesse sentir. No ano do arranque, o Sporting praticava, para além de Futebol e Ténis, Ciclismo, Criquete e Luta de Tracção à corda, onde despontavam Pedro del Negro (capitão) e Francisco Padinha (o homem mais forte de Portugal).

Nos finais de 1906, a população atlética do Sporting ampliar-se-ia com a inclusão de elementos como Carlos Shirley, Guilherme de Lima Connor Shirley, D. João Vila Franca, Charles Etini, Jacob Engelson, James Scarlett e outros.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário