4-2 nas Antas, na caminhada da Taça de Portugal de 1954

13 de Junho de 1954. Na 2ª mão dos quartos-de-final da Taça de Portugal, o Sporting (recém tetra-Campeão) deslocou-se às Antas para defrontar o FC Porto. Em Lisboa verificou-se um empate a 1 golo, pelo que os portistas estavam absolutamente convencidos da sua passagem à próxima eliminatória. O que os locais não estavam com certeza à espera era de tanta inspiração leonina nessa tarde de Primavera. Apesar dos portistas até terem marcado primeiro, Albano (2 golos) e Martins (outros 2) não deixaram qualquer hipótese à equipa nortenha. O Sporting soube não ouvir o público, não ouvir o adversário, e sob a batuta de Travassos (foto de arquivo – a grande figura do jogo) arrancou para uma vitória extraordinária. O portista Carvalho, que agredira Galileu e fora expulso, chorou convulsivamente depois do jogo. Virgílio, que sofrera a 1ª derrota desde que passara a capitão de equipa, não se conformava. Na fase final do desafio, quando tudo estava já decidido a favor do Sporting, desfaleceu: “Estava cheio de nervos, deu-me uma coisa na vista, caí sem sentidos.” Entre os sportinguistas havia satisfação enorme. Martins, contentíssimo, afirmou: “Eu bem dizia que ganhávamos por 4-2, tinha apostado e tudo!” Comandados por Jozef Szabo (Tavares da Silva era o Secretário Técnico – uma espécie de manager), os leões alinharam com: Carlos Gomes; Caldeira e Galaz; Janos Hrotko, Mário Gonçalves e Juca; Galileu, Vasques, Martins, Travassos e Albano. Acrescente-se ainda que o Sporting viria a conquistar o troféu, conseguindo a tão almejada...

1999 – 25º título nacional de Ténis de Mesa e Benfica ultrapassado!

13 de Junho de 1999. Neste dia o Sporting conquistou o seu 25º título nacional ao bater por 4-1 o São Roque no último jogo do play-off. Finalmente os leões ficaram isolados no total de títulos conquistados, ultrapassando o Benfica. A Sala de Alvalade esteve cheia para os 2 jogos finais do competição. E se no sábado, 12 de Junho, o Sporting perdeu por 4-1 adiando tudo para o dia seguinte, no domingo os muitos sportinguistas presentes transbordaram de alegria. Os jogadores abraçavam-se e choravam não conseguindo esconder os sentimentos e a tensão libertada por uma luta titânica, dramática. O público não se cansou de aplaudir os seus heróis, tendo também a equipa madeirense sido aplaudida desportivamente aquando da distribuição das medalhas. A partida mais espetacular do fim de semana foi precisamente a última, entre Vladimir Marinkevich e Xiao Dali, tendo vencido o sportinguista por 21-17, 19-21 e 22-20. O ucraniano (treinador-jogador de 30 anos) afirmou no final: “Estivemos bem melhor, sabendo superar o desacerto da véspera. Jogámos o tudo ou nada, e com a ajuda do público conseguimos a vitória.” Os jogadores presentes nestes jogos decisivos foram Vladimir Marinkevich, Tiago Rocha, Rogério Alfar e Pedro...

1981 – Tetracampeões de Andebol

13 de Junho de 1981. Nesse dia o Sporting conquistou o título nacional de Andebol, 14º e 4º consecutivo, ao derrotar o FC Porto na partida decisiva por 26-19. O pavilhão do Alvalade estava a “escaldar”. Nas bancadas, muita gente em tronco nu e calções. Dezenas de bandeiras verdes agitadas, o jogo era decisivo, e quem ganhasse conquistava o Campeonato. Ao intervalo o Sporting chegou com a vantagem de 12-9. O FC Porto reagiu até aos 13-11, mas o Sporting arrancou para 18-11 decidindo aí o nome do novo campeão. Depois das saídas de João Gonçalves para o Benfica e de João Manuel para o FC Porto, foi com alguma surpresa que o Sporting conquistou este título, mas a experiência de elementos como Brito, Franco e José Manuel foi determinante. A equipa mostrou-se muito unida em busca dum objetivo comum. O Sporting defendia com grande garra e mostrava uma excelente condição física que o fazia não ter quebras assinaláveis durante os jogos. Ângelo Pintado e o guarda-redes Pedro Miguel foram passeados em ombros pelos adeptos leoninos. Para o treinador: “Creio que ninguém pode ter dúvidas da superioridade da minha equipa. Fomos melhores em todos os aspetos. Estou contentíssimo por termos ganho a Taça e o Campeonato. Eu estive muito tempo no Benfica e era olhado com alguma desconfiança no Sporting, mas com esta época plena de êxitos julgo que consegui a confiança de todos”. O Sporting jogou nesta inesquecível partida com: Pedro Miguel (Carlos Silva); José Manuel (5), Carlos Correia, Vasco Vasconcelos (1), Agostinho, Miranda (3), Sousa, Costa (3), Brito (2), Bernardo (2) e Franco (10). Foto: Uma das...

Géo – Um canhoto com excelente técnica

Geraldo da Rocha Carvalho nasceu a 13 de Junho de 1935 no Recife- Brasil. Na equipa da sua cidade – Sport Recife, começou a ganhar notoriedade. Depois mudou-se para o Palmeiras onde, em 1959, fez parte da equipa que cometeu a proeza de conquistar o Campeonato Paulista frente ao Santos de Pelé. Chegou ao Sporting, proveniente do Botafogo de Ribeirão Preto, no Verão de 1960, e estreou-se oficialmente (com o treinador Alfredo González) a 6 de Novembro do mesmo ano numa vitória em Coimbra por 1-0 para o Campeonato (curiosamente o guardião – também brasileiro – Aníbal estreou-se na mesma tarde). Marcou pela 1ª vez a 11 de Dezembro num triunfo por 7-1 no reduto do Salgueiros. Logo nessa 1ª temporada fez valer a sua categoria, ganhando um lugar como interior-esquerdo nos habituais titulares. Na época seguinte, com Juca, destacou-se ainda mais. Foi um dos mais utilizados da equipa e contribuiu com 24 jogos e 6 golos na conquista do 11º Campeonato Nacional para as cores verde e brancas. Em 1962/63 mais uma conquista, a Taça de Portugal, mas para 1963/64, a sua última época no Sporting, estava guardado o “melhor bocado” com a vitória tão recordada na Taça das Taças onde foi um dos protagonistas. No final dessa epopeia pediu aos responsáveis sportinguistas para sair, pois tinha o pai muito doente no Brasil. A 20 de Maio de 1964 alinhou pela última vez de “leão ao peito”, em Évora, frente ao Vitória de Setúbal (0-1) para a Taça de Portugal. Marcara o golo derradeiro a 21 de Abril frente ao Olympique de Lyon (1-1), em Alvalade, para a...

Oliveira Martins

Eduardo Oliveira Martins nasceu a 13 de Junho de 1911 em Lisboa. Desportista tremendamente eclético, representou o Sporting de 1925 a 1950 dentro do mais profundo amadorismo. Com 15 anos começou a jogar Futebol nos infantis verde e brancos, aos 17 passou para as 4ªs categorias, e no mesmo ano chegou à equipa principal. A 11 de Maio de 1929, sob o comando de Charles Bell, marcou o 1º golo pelo Sporting (bisou) em partidas oficiais, num triunfo por 2-1 sobre o União Lisboa para o Campeonato Regional. Iniciou aí um ponta final de época excecional, com golos (8) e em todos os jogos (5). Nesse período destaque-se o dia 26 de Maio, no qual, de manhã foi o capitão da Seleção de Lisboa que derrotou a do Porto, e de tarde alinhou pelo Sporting e marcou os 3 golos do triunfo por 3-2 sobre o FC Porto para os oitavos-de-final do Campeonato de Portugal! Nas 3 temporadas seguintes continuou a fazer parte da equipa sportinguista, mas com pouco fulgor. Ainda assim contribuiu para o 7º título Regional conquistado em 1931. Atingido com gravidade num joelho, abandonou o Futebol, mas continuou a representar o Sporting em diversas modalidades. No Basquetebol foi peça importante da equipa liderada por Acácio Campos que triunfou no 1º Regional de Lisboa em 1928 (e chegou a internacional português). No Andebol de Onze fez parte do coletivo que conquistou também o 1º Regional de Lisboa, em 1932, vencendo ainda outros títulos da capital. No Râguebi esteve presente nos 2 títulos regionais alcançados em 1928 e 1929. Para além de todos estes sucessos, praticou ainda Atletismo, Automobilismo,...

António Stromp

Nasceu a 13 de Junho de 1894 em Lisboa. Começou a alinhar pela equipa principal de futebol do Sporting (ao lado do seu “mítico” irmão Francisco) com apenas 14 anos na 2ª temporada do clube em 1908/09. Estreou-se oficialmente a 11 de Outubro de 1908 num Sporting-União Belenense (1-0) a contar para a 1ª jornada do Campeonato Regional. Era detentor de magníficas qualidades físicas e técnicas que fizeram com que fosse um extraordinário futebolista e um não menos brilhante atleta, tendo ainda praticado mais “a brincar” Ténis, Esgrima e Criquete. Entre 1909 e 1916 integrou todas as selecões de Lisboa de Futebol, tendo viajado numa digressão ao Brasil em 1913 onde impressionou toda a gente pela sua juventude, técnica, corrida e sobretudo humildade. Várias colocações lhe foram oferecidas no Rio de Janeiro, mas todas recusou. Como futebolista foi parte ativa e importante no 1º título oficial conquistado pelo Sporting – o Campeonato Regional de 1915, em cujo jogo decisivo marcou 1 dos golos da vitória por 3-1 frente ao Benfica. Esteve ainda presente no 1º troféu conquistado pela principal categoria do Sporting – a Taça Visconde de Alvalade, em 1912 (frente ao Boavista) assim como nas vitórias nos Jogos Olímpicos Nacionais e na 1ª Taça de Honra da AFL. Jogou pela última vez no dia 1 de Abril de 1917 frente ao Benfica (0-0) num total de 9 épocas no Futebol leonino. O Atletismo foi a outra modalidade onde deu nas vistas. Em 1910 participou nos primeiros Jogos Olímpicos Nacionais, uma verdadeira “pedrada no charco” no desporto lusitano. Aí sagrou-se campeão do salto à vara ex-aequo com Faria Morais do Gymnasio....

2022 – 16ª Taça de Portugal para o Andebol após luta incrível com o FC Porto!

12 de Junho de 2022. Centro de Congressos e Desportos de Matosinhos. A equipa de Andebol do Sporting conquistou neste domingo a Taça de Portugal ao bater na final o FC Porto por 36-35 num jogo com 2 prolongamentos, após empate 26-26 no fim do tempo regulamentar. Os leões passaram a somar 16 troféus e reforçaram assim o estatuto de recordistas na prova. Depois de eliminar o Benfica nas meias-finais (33-30) na véspera, os leões encontraram mais um adversário fortíssimo no caminho para a glória. Foi um duelo muito intenso. A nossa equipa entrou melhor e colocou-se em vantagem por 2-0. Os azuis e brancos só marcaram o seu 1º golo após os 6 minutos de jogo. Ainda assim o jogo foi equilibradíssimo (tal como se esperava), embora os portistas tenham chegado a 7-4. A 10 minutos do intervalo estava 11-8 para o nosso adversário, fruto também de alguma grandes defesas de Mitrevski, e ao intervalo a desvantagem leonina cifrava-se em 13-15. . O Sporting CP entrou bem na 2ª parte. Esteve a perder por 14-15, 18-19, 20-21 (a meio deste período). A reta final foi muito emotiva e indefenida. A menos de 5 minutos do final, 23-24, e aí conseguimos finalmente empatar num um livre direto de Francisco Costa. Com o pavilhão em ebulição, Francisco Costa ainda deu a primeira vantagem na 2ª parte para os leões (25-24), só que a 20 segundos do final o FC Porto fez o 26-26, e já na última posse de bola leonina, Frandsen impediu o golo de Ruesga e levou o jogo para prolongamento. Na 1ª parte, os azuis e brancos marcaram...

2016 – 28 ª Taça de Portugal para o nosso Ténis de Mesa!

12 de Junho de 2016. Uma semana depois de conquistar o Campeonato Nacional, a equipa de Ténis de Mesa do Sporting CP venceu o Benfica na final da Taça de Portugal, conseguindo assim a “dobradinha” num jogo em que a superioridade leonina foi clara e refletiu-se no resultado – 3-0. Depois dos leões vencerem o Juncal nas meias-finais por 3-0 e do Benfica bater a AR Novelense pelo mesmo resultado, a final começou por opôr Diogo Chen a Diogo Carvalho, com o jovem leão a derrotar o seu adversário por 3-1 com os parciais de 5-11, 11-8, 11-8 e 11-7. Seguir-se-ia Aruna Quadri, pelo clube verde-e-branco contra Francisco Santos, das águias. O atleta nigeriano não deu hipóteses ao encarnado, vencendo também por 3-1 e com os parciais de 11-6, 10-12, 11-6 e 11-8. O último jogo seria o de pares, com a equipa leonina a fazer-se representar pelos nigerianos Aruna Quadri e Bode Abiodun, e aí a vitória teria números ainda mais esclarecedores, com o campeão nacional a superiorizar-se por 3-0, com os parciais de 11-6, 11-2 e 13-11. Esta foi a 28.ª Taça de Portugal no palmarés do Sporting CP, tendo a mais recente sido conseguida no ano de...

1954 – Campeões Nacionais de Basquetebol pela 1ª vez

12 de Junho de 1954. O Sporting sagrou-se pela 1ª vez Campeão Nacional de Basquetebol. A situação do Campeonato estava super-emotiva. Os leões necessitavam duma vitória frente ao FC Porto por 21 pontos de diferença, desde que o Sport Conimbricense não triunfasse por mais 5 pontos frente ao Belenenses que a vitória do Sporting frente ao FC Porto – contas complicadas! No Pavilhão dos Desportos os sportinguistas acabaram por triunfar por 58-35 naquela que foi uma vitória dificil mas merecida, premiando uma equipa notável que, ao longo de todo o campeonato mostrou categoria e raça para merecer este desfecho. Alinharam neste último jogo: Garranha (11), Lenine, Gonçalves (20), Vaz (13), Almeida (14), Gaspar Neves, Fernando e Manuel Ribeiro. No final do encontro, quando se soube que o Sport Conimbricense só havia batido o Belenenses por 10 pontos de diferença, houve um delírio avassalador de alegria e entusiasmo que no entanto não fez esquecer a manifestação de desagrado com que a equipa do FC Porto foi recebida e que nem sequer tinha justificação com receções semelhantes que ultimamente haviam sido dispensadas às equipas do sul quando jogavam na capital do norte. Num jogo rico de pormenores táticos, técnicos e emocionais, com uma equipa a pensar numa vitória ampla e a outra a desejar que a derrota, a verificar-se, não o fosse por grande margem, o espetáculo foi de rara beleza. O Sporting foi autoritário, e ao intervalo já conseguira um resultado parecido com o alcançado no final pelos portistas na 1ª volta (31-19). No recomeço o Sporting voltou a distanciar-se, e não fossem 8 lances livres falhados por Garranha, poderia ter...

Sporting escolhido para a 1ª Taça dos Campeões Europeus de Futebol

12 de Junho de 1955. Nesse dia, uma boa notícia para o Sporting. O clube de Alvalade, apesar de nada ter ganho a nível interno nessa temporada, havia sido escolhido como representante português na 1ª Taça dos Clubes Campeões Europeus de Futebol a disputar na temporada que se seguiria. A disputa da prova resultou dum acordo entre os dirigentes europeus no sentido de a lançarem, na época de 1955/56, e ficou com essa denominação final após terem sido consideradas outras como Taça Saldrayer (presidente da FIFA), Taça da Europa e Taça Europeia. Nessa reunião, os jogos entre os 16 clubes concorrentes ficaram logo definidos. Ao Sporting, clube nacional escolhido pela sua hegemonia a nível interno na última década e pelo seu prestígio além-fronteiras, calhou em sorte o Partizan de Belgrado, da...
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.