1971 – “Tareia” ao Benfica na final da Taça de Portugal de Futebol

27 de Junho de 1971 . Depois duma carreira interessante na competição na qual bateu o recorde de goleadas em jogos oficiais (21-0 ao Mindelense) e se desembaraçou com dificuldades de Belenenses e Vitória de Setúbal, o Sporting chegou à final da Taça de Portugal para defrontar o Benfica (recente Campeão Nacional) e a quem nunca tinha derrotado numa final desta competição. O Estádio do Jamor registou uma enchente, com 45.000 espetadores, que gerou uma receita de 1.500 contos. A RTP pagou 200 contos pela transmissão do desafio. Fernando Vaz era o treinador do Sporting e escalou a seguinte equipa: Damas; Pedro Gomes, Laranjeira, José Carlos (Caló 68) e Manaca; Gonçalves (Tomé 57), Nélson e Peres; Chico, Marinho e Dinis. O Sporting fez uma partida de grande raça, superiorizando-se claramente à classe de alguns jogadores benfiquistas. O conjunto verde e branco marcou o 1º golo da final logo aos 5 minutos. Dinis superou, após uma dura luta, o central Humberto Coelho, avançou rapidamente em direção à área e à sua entrada desferiu um forte pontapé, sem hipóteses de defesa. Aos 21 minutos os leões aumentaram a contagem. Após toque de Dinis, Nélson, sobre a esquerda, mais rápido que Humberto Coelho, rematou espetacularmente numa virada fantástica que a todos surpreendeu. 13 minutos depois, e quando José Henrique parecia ter a bola à sua mercê, Marinho esticou-se todo e tocou de bico para o poste. O esférico percorreu então quase toda a linha de baliza, e quando já parecia que não haveria festejos, Chico surgiu como uma flecha e empurrá-la para o fundo das redes. O intervalo chegou com a tranquila vantagem...

1999 – 4º Campeonato Nacional para o Futebol de 5

27 de Junho de 1999. Neste dia o Sporting conquistou o seu 4º título nacional de Futebol de Cinco ao bater o Freixieiro por 4-3 na última jornada e no terreno do adversário. Muitos sportinguistas estiveram presentes no pavilhão situado no concelho de Matosinhos. Vieram de Estarreja, Espinho, Aveiro, Porto, Lisboa e sofreram a bom sofrer. A meio da 1ª parte os locais venciam por 2-0. Depois Zezito esteve em grande ao marcar 3 golos seguidos. O Freixieiro ainda empatou, mas Vítor Marques (grande jogo) fez o 3-4 com que se chegou ao intervalo – com uma magnífico petardo de longe. A 2ª parte foi muito tática e não houve mais golos. No final a festa (e que festa!) foi leonina. Orlando Duarte, o treinador, estava muito feliz: “Os jogadores estão de parabéns porque se aplicaram, lutaram e trabalharam muito. Mesmo em desvantagem tudo fizeram para mudar o resultado e conseguiram-no apesar das muitas dificuldades criadas pelo adversário.” Zezito foi o herói do embate ao fazer 3 golos em 2 minutos!: “Estou satisfeito, mas o mais importante é a equipa. Acabámos por ganhar depois de termos sofrido muito porque fomos a melhor equipa numa prova muito competitiva. Sou campeão pela 1ª vez e nunca mais vou esquecer este momento, até porque recebi um grande incentivo de amigos que vieram propositadamente de Lisboa”. A equipa: João Benedito, Vítor Marques (1), Zezito (3), Pedro Caetano, António Teixeira, Pedro Costa, Nuno Neves, Eduardo Miguel Fernandes, Hélder Amaral, Nuno Coelho e Gonçalo...

1993 – Conquista da Supertaça de Voleibol concretizou a melhor época de sempre

27 Junho de 1993. A melhor época de sempre do Voleibol leonino terminou (após as vitórias no Campeonato e na Taça de Portugal) com a conquista da Supertaça, a uma só mão (por proposta do seu adversário, o Nacional). A partida realizou-se na nave de Alvalade e os leões (orientados por António Rodrigues) triunfaram por 3-1 com 15-8, 11-15, 15-3 e 15-8. Esta foi a 3ª, e mais recente, Supertaça conquistada pelo Sporting na...

2004 – Campeões Nacionais de Bilhar pela 15ª vez

27 de Junho de 2004. Neste dia o Sporting recuperou o título nacional de Bilhar às 3 tabelas (após 4 anos de interregno) ao vencer o Campeonato sem uma única derrota. Na partida decisiva os leões derrotaram o FC Porto (2º classificado) por 3-1. Fréderick Caudron, número 3 do ranking mundial, começou por se superiorizar ao portista Blomdhal, obtendo a excelente média de 2,777. Van Kyuk perdeu o 2º jogo, cabendo a Jorge Theriaga e Vasco Gomes assegurarem o triunfo. A última jornada foi acompanhada por muito público, maioritariamente afeto ao Sporting, que no final pôde saborear o triunfo. Jogaram neste Campeonato: Jorge Theriaga, Manuel Fradinho, Vasco Gomes, Luís Ventura (o quarteto mais utilizado) e ainda Pedro Azevedo, António Saramago, Fréderic Caudron e Van...

2017 – Campeões nacionais de Futsal pela 14ª vez com triunfo em Braga!

27 de Junho de 2017. Ao 4º jogo, o Sporting resolveu o Campeonato Nacional de Futsal, conquistando a competição pela 14ª vez, 6ª nos últimos 8 anos. Depois de 3-1 em casa, 4-5 fora e 6-1 em casa, os leões fecharam a final com um triunfo por 3-1 em Braga. A partida em Braga (clube que tinha eliminado o Benfica nas meias-finais) foi dificílima. O Sporting CP começou forte e assustou logo no primeiro minuto, por intermédio de Diogo. Aos três minutos, Merlim arrastou a defesa, serviu João Matos, mas saiu por cima. Bruno Cintra avisou a vontade dos arsenalistas em levar a discussão do título para Odivelas, mas André Sousa negou a hipótese. Merlim pegou na bola na jogada seguinte, arrancou pela esquerda e só parou na baliza de Xot. Voltava o pé menos forte do ítalo-brasileiro a fazer a diferença, agora com 6 minutos jogados. O Sp. Braga sentia muitas dificuldades para ultrapassar o meio-campo e só perigou André Sousa por mais uma vez na 1ª parte. No 2º tempoos leões voltaram com vontade de ampliar o marcador. Cavinato, Diogo, João Matos e Fortino estiveram próximos do golo, mas Xot estava em grande plano. O Sporting CP continuava mais forte, condicionando qualquer circulação de bola bracarense ao seu meio-campo defensivo. Nuno Dias ainda foi expulso por protestos por uma falta (seria a 5ª) por marcar sobre Cary, porém, no minuto seguinte (37), Diogo atirava de pé direito (sim, novamente o pé contrário a funcionar) para o 2º dos leões. O Sp. Braga avançou para o 5×4 e o Sporting CP respondeu com golo. André Sousa travou o...

1999 – Triunfo na Taça de Portugal de Ténis de Mesa fechou temporada fantástica

27 de Junho de 1999. Na decisão da Taça de Portugal de Ténis de Mesa disputada na Azambuja, vitória da equipa do Sporting (a 23ª), com Vladimir Marinkevich, Rogério Alfar e Pedro Miguel (Tiago Rocha não jogou) sobre o Estrela da Amadora por 3-2. O pavilhão local teve casa cheia e o triunfo foi difícil, sendo consumado após 3 horas de jogos – com Rogério Alfar a pôr um ponto final na discussão. No final o capitão Pedro Miguel estava felicíssimo: “Esta taça é tão bonita! Todos nós demos o melhor e contribuímos para mais esta importante vitória. Somos sportinguistas e estamos ao serviço deste grande clube com grande união e abnegação. A cada ano que passa as vitórias são mais difíceis mas apesar de tudo esta foi a melhor época de sempre e isso é muito relevante. Fomos campeões nacionais, vencemos a Taça de Portugal e pela 1ª vez uma equipa portuguesa foi aos quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus. Foi preciso muito suor e um grande amor à camisola para uma época como esta”. Na foto, um dos muitos momentos de alegria ao longo da temporada...

1954 – 5ª Taça de Portugal para o Futebol, após um percurso extraordinário

27 de Junho de 1954. Culminando aquela que foi talvez a mais brilhante de todas as carreiras na Taça de Portugal feitas pelo Sporting (eliminando Benfica, Porto e Belenenses), os leões encontraram na final o Vitória de Setúbal. Sob o comando de Jozef Szabo – que ganhou aí o seu último troféu – de 12 – como treinador leonino (Tavares da Silva era o Secretário Técnico – uma espécie de manager), o Sporting alinhou com: Carlos Gomes; António Lourenço e Galaz; Janos Hrotko, Gonçalves e Juca; Galileu, Vasques, Martins, Travassos e Fernando Mendonça. Valha a verdade que o Sporting não fez uma exibição muito conseguida, o que já era normal nas vésperas das partidas para longínquas paragens (seguir-se-ía uma gloriosa digressão a África). Os leões até entraram bem no jogo, com tranquilidade, enquanto os sadinos marcavam homem-a-homem jogando de forma muito aguerrida. O Sporting dominava quando abriu o ativo aos 14 minutos. Travassos fez um passe de grande visão em profundidade (bem ao seu estilo) para Vasques que se conseguiu isolar e bater Baptista. O Vitória respondeu de pronto, a partida ganhou até uma certa virilidade, mas foi o Sporting a voltar a marcar, aos 18 minutos, após uma boa corrida de Martins, que passou atrasado para Fernando Mendonça fazer o 2-0. O Vitória ficou algo perturbado mas acabou por assentar jogo e responder convenientemente. Enquanto o Sporting se parecia poupar à sombra da vantagem alcançada, os sadinos reduziram aos 24 minutos por Soares na sequência dum pontapé de canto. O Vitória mais se moralizou perante alguma apatia leonina, e poucos minutos depois duma bela intervenção de Carlos Gomes chegou...

1981 – Vitória na Taça das Taças de Hóquei em Patins

27 de Junho de 1981. Neste dia o Hóquei em Patins do Sporting “escreveu” mais uma brilhante “página” no seu palmarés, triunfando na Taça das Taças perante os espanhóis do Cibeles. Na 1ª mão da final, 13 dias antes, o Sporting perdeu por 4-1 em Oviedo (golo de Rosado). A equipa jogou intranquila pela doença do seccionista Gonzaga da Silva com dupla pneumonia, quebra de tensão e internamento no Hospital das Astúrias. António Livramento (o jovem treinador) prometeu que em Lisboa tudo seria diferente. Assim foi. Em Alvalade o Sporting atirou-se “com unhas e dentes” ao seu adversário. Fez 1-0, mas os espanhóis viraram para 1-2 e tudo ficou mais difícil. No entanto, Chana (a grande figura do encontro) empatou e no minuto seguinte fez 3-2. Antes do intervalo os leões ainda aumentariam para 4-2 aproximando-se da vantagem alcançada pelos espanhóis no jogo da 1ª mão. No 2º tempo o Cibeles abdicou pura e simplesmente do ataque. Chana ainda fez 5-2 mas “nuestro hermanos” entraram depois num verdadeiro anti-jogo que obrigou o árbitro a interromper a partida. No prolongamento os jogadores estavam visivelmente esgotados com um calor imenso num recinto com lotação máxima de 5.000 pessoas e onde estavam 7.000. Na 1ª parte os espanhóis mantiveram o estilo de posse de bola para levar a decisão para os penaltis, mas na 2ª o Sporting “explodiu”. Livramento apostou tudo no ataque e Chana fez um golo espetacular que deu pela 1ª vez vantagem ao Sporting nesta final. Os espanhóis foram então obrigados a abrir-se para tentar empatar a contenda, mas, a passe de Chana, Salema arrumou a questão (fazendo o...

2011 – Campeãs Nacionais de Atletismo pela 41ª vez

26 de Junho de 2011. Realizaram-se neste dia e na véspera, no Estádio Universitário de Lisboa, os Campeonatos Nacionais de Atletismo em pista. A equipa feminina do Sporting patenteou uma enorme superioridade triunfando com 161 pontos contra 117 do Benfica. Este foi o 41º título nacional para o Atletismo feminino verde e branco. As leoas venceram a esmagadora maioria das provas, a saber: 100 m – Sónia Tavares – 11,65s 100 m barreiras – Mónica Lopes – 13,89s 4×100 m – Glória Santo, Naide Gomes, Carla Tavares e Sónia Tavares – 45,66s 200 m – Sónia Tavares – 23,46s 400 m – Cátia Nunes 54,81s 4×400 m – Glória Santo, Carla Tavares, Joceline Monteiro e Vera Barbosa – 3m46,46s 3000 m obstáculos – Clarisse Cruz – 10m06,92s 3000 m marcha – Vera Santos – 13m25,82s (Inês Henriques, do CN Rio Maior, da II Divisão, ganhou a prova com 12m56,97s) Altura – Marisa Anselmo – 1m77cm Comprimento – Naide Gomes – 6m40cm Dardo – Sílvia Cruz – 47m 71cm Disco – Irina Rodrigues – 52m62cm Martelo – Vânia Silva – 67m09cm Peso – Antónia Borges – 15m35cm Triplo-Salto – Patrícia Mamona – 13m69cm Vara – Eleonor Tavares – 4m20cm No setor masculino os leões perderam o título (que conquistavam há 9 anos consecutivos) para o Benfica, por uma diferença de apenas 2...

1938 – 4º Campeonato Nacional de Futebol conquistado!

26 de Junho de 1938. Neste dia o Sporting conquistou o Campeonato de Portugal de Futebol. Esta foi a 6ª final consecutiva dos leões e o 4º triunfo obtido, o que colocou sportinguistas e FC Porto como os clubes com mais triunfos na competição. A eliminatória mais difícil de ultrapassar tinha sido a dos quartos-de-final. Nas Salésias, sem Peyroteo, o Sporting perdeu por 4-2 e foi necessária uma equipa tremendamente persistente e lutadora para dar a volta à eliminatória, triunfando no Lumiar por 3-0 com, para não variar, Fernando Peyroteo em grande destaque. Este jogo teve algo curiosíssimo e relatado assim pelo jornal Os Sports: “Um pormenor interessante que merece referência. O Sporting, para evitar perdas de tempo, dispôs à volta do retângulo alguns rapazinhos para apanharem as bolas fora. É um sistema que lá fora já vimos adotado em vários jogos internacionais, mas que entre nós ainda não fôra posto em prática”. 2 dias antes do encontro da final Szabo, ao seu melhor estilo, aconselhou os seus futebolistas a não namorarem pois precisavam de “canetas” para o jogo. Na véspera, na sede do clube, explanou a tática para a partida, e na tarde de 26 de Junho Sporting e Benfica encontraram-se no Campo do Lumiar para o jogo decisivo. O público era numeroso e entusiasta, e realce-se o facto de ter tido um excelente comportamento durante toda a partida, aliás tal como jogadores e equipa de arbitragem. A equipa: Azevedo; João Jurado e Joaquim Serrano; Rui de Araújo, Paciência e Manecas; Mourão, Pireza, Peyroteo, Soeiro e João Cruz. O Sporting entrou no jogo duma forma fantástica e antes do...
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.