Martins

João Baptista Martins nasceu a 3 de Setembro de 1927 em Sines. Teve uma infância complicada, com poucos recursos económicos, trabalhando como corticeiro. Foi trazido para o Sporting pela mão do seu grande amigo Alfredo Trindade, um dos maiores ciclistas portugueses de sempre.

Muito humilde, talvez demasiado, não chegou a realizar testes com os leões pois achava que não tinha a classe necessária para isso, e foi para a CUF onde pretendia que lhe arranjassem um trabalho na fábrica. Prometeram-lho, mas antes da estreia a promessa ainda não estava cumprida pelo que se recusou a jogar. Entretanto, António Abrantes Mendes – que integrava a equipa técnica leonina de Cândido de Oliveira, apercebeu-se da sua inegável valia e chamou-o para o Sporting. Espantado, aceitou. Por 400$ mensais começou por ser o substituto de Albano na extrema-esquerda, e depois de Jesus Correia no lado direito, mas com o abandono de Peyroteo e a saída de Mário Wilson tornou-se o mais consistente sucessor do maior atacante de sempre do Sporting.

Estreou-se oficialmente (com o técnico Cândido de Oliveira e como extremo-esquerdo) a 1 de Fevereiro de 1948 numa receção ao Vitória de Setúbal para o Campeonato Nacional (8-1), e logo marcou 1 golo. Nessa 1ª época jogou pouco (assim como nos 2 anos seguintes), mas a partir de 1950/51 tornou-se peça fundamental das equipas leoninas.

Ao longo da sua carreira nunca sofreu qualquer sanção disciplinar. Era um jogador “elegante”, alto, com um belíssimo pé esquerdo e um grande engodo pelas balizas contrárias. Em 1953/54 sagrou-se o melhor marcador do Campeonato com 31 golos. Por 4 anos foi o melhor marcador da equipa sportinguista – 1952/53 (35 golos em partidas oficiais), 1953/54 (38), 1954/55 (24) e 1956/57 (16).

A 4 de Setembro de 1955 marcou o 1º golo na História da Taça dos Campeões Europeus, no Estádio Nacional frente ao Partizan de Belgrado.

Esteve no Sporting um total de 12 épocas. Fez 251 jogos oficiais e marcou 165 golos (é o 8º melhor goleador de sempre do clube – 2º melhor na Taça Latina com 6 golos). Para além dos seus dotes de goleador era fantástico nas assistências. Ganhou 7 Campeonatos Nacionais e duas taças de Portugal.

A 22 de Fevereiro de 1959 jogou pela última vez oficialmente, num empate 0-0 nas Caldas. Duas semanas antes marcara o golo derradeiro, num triunfo em Torres Vedras por 2-0. Teve a sua festa de homenagem num jogo perante o Sporting da Covilhã, a 8 de Novembro de 1959, que lhe rendeu 60 contos.

Foi 11 vezes internacional. Morreu a 18 de Novembro de 1993 de ataque cardíaco, em Paris (para onde emigrara como operário fabril).

GOLOS de MARTINS no SPORTING
ÉPOCA TC TL CN TP TOTAL
1947/48 - - 3 0 3
1948/49 - 0 1 0 1
1949/50 - - 2 - 2
1950/51 - 0 5 0 5
1951/52 - 2 12 4 18
1952/53 - 4 26 5 35
1953/54 - - 31 7 38
1954/55 - - 23 1 24
1955/56 2 - 6 0 8
1956/57 - - 14 2 16
1957/58 - - 10 2 12
1958/59 0 - 3 0 3
Total 2 6 136 21 165

Post to Twitter

Deixe o seu comentário