Balakov – Eram “balas” que saíam dos seus pés

Krassimir Guenchev Balakov nasceu a 29 de Março de 1966 em Tarnovo – Bulgária. Foi no clube da sua cidade – o Etar, quen começou a dar nas vistas, alcançando mesmo o título de Campeão Nacional.

Chegou ao Sporting em Janeiro de 1991 pela “mão” de Sousa Cintra, e estreou-se a 12 desse mês num Sporting-Penafiel (2-0) para o Campeonato Nacional. A 30 marcou o 1º golo (bisou) numa partida para a Taça de Portugal frente ao Peniche (6-0). É caso para dizer que “pegou de estaca” logo quando chegou, ganhando um lugar no meio campo ofensivo da equipa de Marinho Peres, relegando Careca (que tinha chegado essa época – e começara com grande fulgor) para uma situação mais discreta.

Pouco a pouco foi ganhando cada vez mais protagonismo na equipa ao ponto de se tornar rapidamente a sua grande “estrela”, fosse com Marinho Peres, Bobby Robson ou Carlos Queiroz.  Em 1993/94 chegou mesmo a ser o melhor marcador do Sporting com 21 golos, o que para um médio ofensivo é notável.

Esquerdino, com bom potencial físico, excelente capacidade de passe, remate potentíssimo e colocado, Balakov era também especialista nas “bolas paradas”. Foi seguramente um dos melhores jogadores da História do Sporting e muito provavelmente o melhor na década de 90 do século passado. Nessa 1ª metade dos 90s os sportinguistas tiveram grandes equipas, compostas por excelentes jogadores (o Estádio Alvalade apresentava, jogo após jogo, enormes assistências devido ao excelente futebol praticado), mas em Portugal, mais do que nunca, vivia-se tempos tormentosos em que a verdade desportiva andava “ferida de morte”…

Passou por grandes momentos no Sporting, como por exemplo o golo marcado ao Benfica na 1ª jogada do encontro com um “tiro” a cerca de 40 metros (18 de Outubro de 1992), um golo incrível (dos melhores de sempre) em Setúbal onde passou por meia equipa adversária (29 de Agosto de 1993), 5 golos num jogo só, frente ao Lusitânia de Lourosa para a Taça de Portugal (2 de Outubro de 1994), um golo fantástico na Luz que ajudou a derrotar o grande rival (30 de Abril de 1995), entre muitos outros.

5 épocas, 168 jogos e 60 golos são o resumo do seu percurso em Alvalade, onde, no entanto, ganhou apenas uma Taça de Portugal, e logo no jogo de despedida, a 10 de Junho de 1995 frente ao Marítimo (2-0). O último golo marcara-o a 21 de Maio perante o Desp. Chaves (1-0).

Foi então para Estugarda onde voltou a ser protagonista, permanecendo no clube alemão até ao final da carreira (2003). Depois iniciou-se como treinador (começou como adjunto no Estugarda), uma carreira em que ainda está longe de atingir o fulgor a que chegou como futebolista.

Foi 96 vezes internacional pela Bulgária marcando 16 golos. Esteve nos Mundiais de 1994 (onde brilhou, alcançando um 4º lugar) e 1998 e no Euro 1996.

Em várias entrevistas, que entretanto foi dando, sempre reafirmou o seu afeto pelo Sporting, e é ele próprio quem diz que: “Um dia talvez possa regressar como treinador, quem sabe?”

vídeo

GOLOS de BALAKOV ao serviço do SPORTING
ÉPOCA TU CN TP TOTAL
1990/91 0 5 3 8
1991/92 0 7 0 7
1992/93 1 11 4 16
1993/94 0 15 6 21
1994/95 0 7 1 8
Total 1 45 14 60

Post to Twitter

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Confirm that you are not a bot - select a man with raised hand:

Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.