Um dos “jogos da vida” de Oliveira

29 de Setembro de 1982. Depois de ter perdido em Zagreb por 1-0, o Sporting deu a volta à eliminatória dos 1/16 final da Taça dos Campeões Europeus, triunfando por 3-0 no Alvalade numa noite memorável do treinador-jogador Oliveira (que pouco antes suspeitara da morte do pai – que ninguém lhe comunicou expressamente, mas que ainda assim fez questão em alinhar). O Estádio Alvalade esgotou para apoiar os leões numa noite muito agradável de início de Outono. A equipa: Meszaros; Ademar, Venâncio, Zezinho e Virgílio; Festas; Lito (Carlos Xavier), Oliveira (Freire) e Nogueira; Manuel Fernandes e Jordão. O Sporting entrou na partida sem sofreguidão, apesar de mostrar desde logo uma disposição atacante notória. Exatamente à passagem da meia-hora os sportinguistas marcaram o 1º golo. Ademar subiu bem pelo seu flanco direito e assistiu Oliveira que fintou um, driblou outro, mudou a bola de pé e rematou a contar – tudo em poucos instantes e num espaço exíguo. 6 minutos depois o Sporting passou para a frente da eliminatória. Festas passou rasteiro a Oliveira que furou de forma genial pela defensiva contrária, isolou-se e atirou a contar – o melhor golo da noite. O intervalo chegou com 2-0 e a eliminatória “na mão” dos leões. Para a 2ª parte o figurino do jogo não se alterou apesar dos jugoslavos tentarem responder à noite inspirada do Sporting. Surpreendente, pela beleza e raridade do lance, foi o 3-0 aos 65 minutos. Sobre o flanco direito, perto do vértice da área contrária, Oliveira simulou um remate ao poste mais distante, Jugovic ficou iludido, e o talentoso sportinguista rematou de forma arqueada e suave...

Noite de Campeões frente ao Tottenham!

13 de Setembro de 2022. 2ª jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões. Após a brilhante vitória em Frankfurt por 3-0, o Sporting recebia no Alvalade (perante cerca de 40.000 pessoas) os ingleses do Tottenham, uma das boas equipas da Premier League (em 2º e sem derrotas). Em trajetória ascendente neste momento da temporada, esperava-se do Sporting uma boa réplica aos fortíssimos ingleses, sendo que, em termos de contas do Grupo, se o empate não seria mau, o triunfo seria magnífico! Antes do início do jogo respeitou-se 1 minuto de silêncio pela morte da rainha Isabel II. A partida começou animada, e logo aos 7 minutos, jogada entre Pote e Marcus Edwards, com o português a rematar para grande defesa de Lloris. O primeiro quarto-de-hora foi de maior pressão dos ingleses, e só a partir dessa altura os leões começaram a ter mais bola. Richarlison ia incomodando, Trincão do outro lado também. Mesmo antes do intervalo, jogada absolutamente incrível de Edwards (baixou o “espírito” de Maradona!), combinou com Trincão e obrigou Lloris a uma defesa milagrosa! O Sporting entrou mal na 2ª parte, falhando alguns passes, e Emerson obrigou Adán a duas defesas. Aos 55 foi Harry Kane a obrigar o espanhol a uma grande defesa. Aos 58 Richarlison rematou perto do poste (foi a pior fase dos leões no jogo). A 2ª parte foi então decorrendo equilibrada e o golo poderia surgir para qualquer dos lados. A equipa do Sporting mostrava-se, no entanto, muito disciplinada taticamente e a explanar exatamente aquilo que queria do jogo. Aos 90 minutos, grande jogada de Pedro Porro, remate potente de...

Entrada poderosa na Liga dos Campeões de 22/23 com 1ª vitória de sempre na Alemanha

7 de Setembro de 2022. O Sporting entrou na Liga dos Campeões desta temporada com uma deslocação à Alemanha, onde nunca tinha ganho oficialmente, para defrontar o Eintracht Frankfurt, equipa vencedora da Liga Europa na temporada anterior. Perante cerca de 50.000 pessoas (1.500 a 2.000 sportinguistas), o Sporting procurou entrou a jogar de uma forma pausada, com o objetivo de assumir o controlo de jogo e acalmar a previsivel investida inicial dos alemães. No entanto, logo aos 2 minutos, um erro colossal de Ugarte colocou Kolo Muani isolado perante Adán, mas o espanhol defendeu esticando a perna esquerda. Aos 12 minutos, Porro galgou pelo meio, serviu Edwards mais à direita, o inglês encarou Lenz e simulou para dentro, caindo depois. Foi assinalado penalty revertido depois pelo VAR, pois foi Edwards a tropeçar no adversário… Aos 16, Adán emendou bem um erro que ele mesmo cometeu na saída de bola. Aos 18, erro de Inácio, mas Lindstrom rematou um pouco ao lado. Em menos de 20 minutos os leões já tinham cometido 3 erros grosseiros que felizmente conseguiram evitar que tivessem consequências no marcador… Aos 30 minutos Kamada rematou em boa posição, mas Adán defendeu bem com as pernas, junto ao poste. Passada a primeira meia-hora com alguns incidentes o Sporting começou a estabilizar mais (embora até aí já tivesse mais bola). Aos 36 minutos, Edwards combinou bem com Porro e rematou para defesa apertada de Trapp. O intervalo chegou com 0-0, numa partida em que o Sporting pareceu ter o controlo, mas alguns erros poderiam ter custado caro. Coates ia-se destacando no plano defensivo. Aos 52 minutos por problemas...

O 1º jogo da História da Taça dos Campeões Europeus de Futebol

4 de Setembro de 1955. Sporting e Partizan de Belgrado disputaram no Estádio Nacional (que viveu um dos seus dias mais significativos) a 1ª partida da História daquela que ainda hoje é a competição “raínha” de clubes na Europa. As equipas acederam a essa 1ª edição da prova por convite e fruto do seu prestígio internacional. Sublinhe-se que, na altura, o Sporting nem era o Campeão Nacional, mas detinha indiscutivelmente a primazia em termos de notoriedade além-fronteiras. Os leões eram orientados por Alejandro Scopelli e alinharam com: Carlos Gomes; Caldeira, Passos e Galaz; Barros e Juca; Hugo, Vasques, Martins, Travassos e Quim. O Sporting entrou a jogar a favor do vento, que soprava forte no vale do Jamor. A partida começou equilibrada com animadas jogadas de ataque de parte a parte, mas com ambos os guarda-redes a responderem bem quando solicitados. Numa fase em que os jugoslavos detinham algum ascendente, jogando os portugueses em contra-ataque, 2 dribles de Vasques proporcionaram uma boa ocasião a Hugo, mas este rematou para as nuvens. O desafio estava muito interessante, e aos 14 minutos o Sporting fez 1-0, o 1º golo da História da Taça dos Campeões Europeus! Em luta com Zebec, Martins levou a melhor, e com a bola a saltitar desferiu um excelente remate a meia altura, forte e bem direcionado, sem hipóteses para o guardião contrário. O Partizan pareceu um pouco desorientado e passou a utilizar alguma despropositada dureza. Apesar disso tomou a iniciativa, proporcionando belíssimas intervenções a Carlos Gomes. O Sporting, sobretudo numa ocasião por Hugo (salva sobre o risco), esteve até perto de aumentar a contagem, mas foram...

1977 – Campeões Europeus de Hóquei em Patins

18 de Junho de 1977. Depois do título europeu no Crosse, o Sporting também se sagrou o maior da Europa no Hóquei em Patins. Pela 1ª vez uma equipa portuguesa conquistou a Taça dos Campeões à 12ª edição da prova. Efetivamente, depois de uma meia-final emocionante com o Voltregá, a final disputada com o Villanueva valeu 6-0 em Lisboa após uma extraordinária exibição, e 6-3 em Villanueva (na Catalunha, a 60km de Barcelona), noutra cabal demonstração de superioridade. Os espanhóis até começaram melhor, mas um Sporting demolidor deu a volta ao resultado. A equipa leonina foi composta por Ramalhete e Carmelino; Sobrinho (2), Livramento (1), Chana (2), Jorge, Garrido, Carlos Alberto e Rendeiro (1), sendo treinada por Torcato Ferreira – um homem muito tranquilo que sobressaía pela sua amabilidade e dedicação ao trabalho. No final os espanhóis foram unânimes em considerar que este conjunto do Sporting era o melhor da Europa e talvez do Mundo – uma equipa virtualmente invencível resultado do encontro dos melhores hoquistas portugueses do momento, treinados pelo melhor técnico português de sempre, onde Livramento, com toda a experiência acumulada, era ainda o grande artista. O capitão Júlio Rendeiro afirmou no final: “Houve inteira justiça na conquista do título e justo é enviar o nosso agradecimento aos sócios e adeptos do clube, sobretudo aos que aqui vieram, pois pertenceu-lhes uma larga quota-parte do êxito. Sentimos Alvalade em Villanueva. Estou com 34 anos e este é o momento para abandonar a prática do Hóquei em Patins. Que melhor final poderia eu desejar para a minha carreira?” O Sporting eliminou na competição o Montreux (18-1c e 11-3f), Voltregá (2-5f...

Sporting escolhido para a 1ª Taça dos Campeões Europeus de Futebol

12 de Junho de 1955. Nesse dia, uma boa notícia para o Sporting. O clube de Alvalade, apesar de nada ter ganho a nível interno nessa temporada, havia sido escolhido como representante português na 1ª Taça dos Clubes Campeões Europeus de Futebol a disputar na temporada que se seguiria. A disputa da prova resultou dum acordo entre os dirigentes europeus no sentido de a lançarem, na época de 1955/56, e ficou com essa denominação final após terem sido consideradas outras como Taça Saldrayer (presidente da FIFA), Taça da Europa e Taça Europeia. Nessa reunião, os jogos entre os 16 clubes concorrentes ficaram logo definidos. Ao Sporting, clube nacional escolhido pela sua hegemonia a nível interno na última década e pelo seu prestígio além-fronteiras, calhou em sorte o Partizan de Belgrado, da...

2016 – Campeãs europeias de Atletismo em pista com toda a classe do mundo!

29 de Maio de 2016. Este foi um dia de dia de consagração leonina na Turquia, onde a equipa feminina de Atletismo do Sporting CP venceu, pela 1ª vez na sua História, a Taça dos Clubes Campeões Europeus, que decorreu durante o fim-de-semana em Mersin. As leoas fizeram jus ao nome no 1º dia de competições. 7 vitórias em 11 provas foi o saldo bem positivo, com triunfos de Marta Onofre (salto à vara), Patrícia Mamona (triplo salto), Vera Barbosa (400 metros barreiras), Irina Rodrigues (lançamento do disco), Lorene Bazolo (100 metros), Sara Moreira (3.000 metros) e Sviatlana Kudzelich (3.000 metros obstáculos). Com o somatório dos pontos ganhos pelas atletas leoninas, a formação de Alvalade estava na frente da classificação geral coletiva, com 79 pontos. Vânia Silva começou o 2º e último dia de prova alcançando um 4.º lugar no lançamento do martelo.  Já Sviatlana Kudzelich terminou os 1.500 metros no 2.º lugar, enquanto Anabela Neto se ficou pela 5.ª posição no salto em altura.  Lorene Bazolo finalizou os 200 metros em 2.º lugar e Jessica Inchude foi 4.ª no lançamento do peso. Jessica Augusto fez então novo brilharete e triunfou nos 5.000 mil metros.  Para fechar em beleza, vitória coletiva na estafeta 4×400 metros, seguindo-se a merecida festa pela conquista do tão ambicionado título! O Sporting somou 133 pontos, contra 122 pontos da equipa espanhola do Valencia Terra y Mar, que fora campeã em 2015, e 116 pontos da formação turca do Fenerbahçe, 3ª classificada. Foi em direto na Sporting TV que o Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, fez questão de mostrar todo o seu contentamento por...

2005 – Vice-Campeões Europeus de Bilhar pela 3ª vez…

29 de Maio de 2005. Depois de 1996 e 2002, os leões foram pela 3ª vez vice-campeões europeus de Bilhar… A prova disputou-se na cidade francesa de Andernos. O Sporting voltou a ficar em 2º, após ter derrotado nas meias-finais finais o FC Porto por 3-1 e ter perdido na final com o Courbevoie (a quem tinha vencido na fase de grupos por 6-5 em sets depois dum 2-2) por 4-0. Vasco Gomes, Jorge Theriaga, Eddy Leppens e Manuel Fradinho foram os atletas leoninos em compita, e, apesar de falharem o título, levantaram bem alto (mais uma vez) o nome do...

2000 – Campeões Europeus de Atletismo em pista

27 de Maio de 2000. Na Taça dos Campeões Europeus de Pista, contra todas as expetativas, o Sporting sagrou-se Campeão da Europa em masculinos, levando a melhor sobre os russos do Lutch que representavam praticamente a seleção do seu país. Vítor Costa (Martelo), Jonas Mattes (Altura), Fernando Alves (Peso e Disco), Carlos Silva (400m barreiras e 4X400m), Francis Obikwelu (100m, 4X100m e 200m), Carlos Calado (Comprimento, 4X100m e Triplo-Salto), Rui Silva (1.500m e 3.000m), Vítor Jorge (400m, 4X100m e 4X400m), Hélder Ornelas (5.000m), Sylvester Omodiale (4X100m e 4X400m), João André (Vara), Rui Palma (110m barreiras), João Pires (800m e 4X400m), Vítor Almeida (3.000m obstáculos) e Filipe Ventura (Dardo) foram os grandes heróis de uma conquista transcendente. Este triunfo foi histórico para a equipa do Sporting. Só na última das 20 provas, os 4X400 metros, se soube que o Sporting seria campeão depois de um incrível despique com a equipa russa, que bateu por meio ponto (105,5 contra 105!). Na última prova, a equipa formada por Carlos Silva, João Pires, Sylvester Omodiale e Vítor Jorge conseguiu o 3º lugar, enquanto os russos se ficaram pelo 2º a 6 centésimos dos checos do Dukla de Praga. Os triunfos individuais: 100m – Francis Obikwelu – 10,23s; 200m – Francis Obikwelu – 20,62s; 4X100m – Sylvester Omodiale, Francis Obikwelu, Vítor Jorge e Carlos Calado – 39,31s; 800m – João Pires – 1m48,10s; 1.500m – Rui Silva – 3m39,82s; 3.000m – Rui Silva – 8m29,99s; e 5.000m – Hélder Ornelas – 13m36,68s. Comovente foi o choro compulsivo de Francis Obikwelu no final, abraçado a Valentina Fedyushina. Talvez por isso mesmo foi o atleta que...

2002 – Mais uma vez às portas do título europeu de Bilhar…

26 de Maio de 2002. Na Taça dos Campeões Europeus de Bilhar às 3 tabelas, o Sporting foi vice-campeão graças às prestações do quarteto composto por Fréderic Caudron (foto – uma aquisição deste ano, de 34 anos, campeão mundial em 1999, natural de Mons – Bélgica e profissional de Bilhar, com 4 Campeonatos do Mundo, 5 Campeonatos Europeus e 41 vezes Campeão da Bélgica em todas as variantes!), Van Kuyk (outra novidade), Jorge Theriaga e Manuel Fradinho. Na final o Sporting perdeu com o Van Vanrooy por 3-1. Depois de 1995/96, foi a 2ª vez que os leões foram vice-campeões europeus… Jorge Theriaga constituiu a principal figura do conjunto ao vencer todos os jogos que...
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.