Campeonato Nacional de Crosse para Albano Martins numa época espetacular

29 de Abril de 1923. Albano Martins, a fazer uma época notável, sagrou-se neste dia Campeão de Portugal de Crosse (pela 1ª vez e 3ª para um sportinguista). Pelo Sporting correram também Cecílio Costa, Tomaz Brandão e David Bernardes. Albano e Cecílio estiveram sempre à cabeça da corrida, doseando o esforço. Na parte final Domingos Jorge (dos Vendedores de Jornais) aproximou-se, mas para o sprint final já só partiram os 2 sportinguistas. A luta foi renhida sendo Albano o mais forte, triunfando por cerca de 6 metros. David Bernardes foi 12º. O regulamento deixava dúvidas, mas por equipas venceram os Vendedores de Jornais, pois em vez de contar (como habitualmente) a classificação dos 3 primeiros de cada equipa, contou a classificação de todos… Para Albano Martins esta magnífica época começara já no 2º crosse organizado pelo jornal “Os Sports”. O atleta sportinguista dominou como quis vencendo com grande àvontade uma prova que teve a partida e a chegada no campo do Sporting. Seguiu-se a prova por equipas em estafeta denominada Volta ao Porto, na qual foi a principal figura da equipa leonina, que triunfou com clareza. Já depois de Albano se ter sagrado Campeão Nacional de Crosse, venceu, no Campeonato Regional de Atletismo, os 400, 1.500 e 3.000 metros, enquanto nos Nacionais contribuiu para o triunfo na estafeta de 4X400 metros. Campeão do clube nos 800, 1.500 e 5.000 metros, Albano Martins seria recordista nacional destas disciplinas (com exceção dos 400 metros) de 1922 a 1925! Como se tudo isto não bastasse, e demonstrando a sua condição de excelente atleta, foi Campeão Regional do sul de Boxe em meios-médios,...

No jogo 200 na Europa, final da UEFA mais perto com triunfo sobre o AZ Alkmaar

28 de Abril de 2005. Jogo 200 do Sporting nas Competições Europeias de futebol. Na meia-final da Taça UEFA foi difícil o confronto frente aos holandeses do AZ Alkmaar, a grande surpresa da prova. Em Alvalade o Sporting venceu por 2-1 perante uma equipa (orientada por Co Adriaanse – que anos mais tarde seria campeão em Portugal no Porto) que jogou os 90 minutos muito fechada atrás. Por outro lado, numa temporada verdadeiramente desgastante, os leões apresentavam alguma fadiga, compensada por um entusiasmo assinalável. Foram os visitantes os primeiros a marcar, aos 36 minutos por Landzaat, mas a equipa de José Peseiro empatou logo a seguir por Douala. Depois de muito porfiar os leões chegaram ao 2-1, a 11 minutos do fim, com um golo espetacular do chileno Maurício Pinilla, que “carimbou” a 86ª vitória dos leões nas provas da UEFA. Em cima do final da partida um tabela perfeita entre Pinilla e Liedson colocou o chileno em posição privilegiadíssima para marcar mas o remate não saiu da melhor forma… O Sporting jogou com: Ricardo; Rogério (Pinilla 69), Enakarhire, Anderson Polga e Rui Jorge; Custódio; Pedro Barbosa (João Moutinho 46), Rochemback (Hugo Viana 60) e Douala; Sá Pinto e Liedson. A final de Alvalade estava mais perto!...

2019 – Campeões europeus de Futsal!

28 de Abril de 2019. O Sporting CP sagrou-se (finalmente!) campeão europeu de Futsal neste domingo ao vencer o Kairat Almaty (na casa do adversário) na final da UEFA Futsal Champions League por 2-1 Na 1ª parte o Sporting CP entrou bastante concentrado e pressionante, houve bastante equilíbrio em termos de posse de bola – com remates para ambas as equipas, principalmente para os leões, que criaram diversas oportunidades claras de golo mas com pouca sorte na finalização. Ao atingir a metade da 1ª parte, o Sporting CP acabou por baixar um pouco o ritmo, tornando o jogo mais disputado e dividido. Apesar das oportunidades criadas por ambas as equipas, nenhuma delas conseguiu concretizar, tendo-se registado o empate a zero ao intervalo. Os leões regressaram dos balneários focados na vitória e, logo nos primeiros instantes, conseguiram marcar por intermédio de Diego Cavinato, depois de uma incrível jogada individual de Cardinal. Pouco tempo depois, aos 28 minutos, foi a vez de Alex Merlim fazer o gosto ao pé ao lançar uma “bomba” para o fundo das redes. O adversário ainda reagiu e, a jogar em cinco para quatro, acabou por concretizar aos 38 minutos (Douglas Junior), mas a vitória e o troféu não escaparam mesmo ao clube de Alvalade. A nossa equipa: Guitta (gr); Erick Mendonça, Cavinato, Alex Merlim, Dieguinho, Gonçalo Portugal (gr), Léo, João Matos, Pedro Cary, Deo, Pany Varela, Alex, Cardinal e Rocha. Nuno Dias, o nosso treinador, afirmou no final: “Destaco todo o espírito de equipa, garra, solidariedade, a confiança que hoje demonstrámos em todos os momentos do jogo e a forma como nos unimos quando estávamos...

Sousa – Centrocampista rematador de qualidade

António Augusto Gomes de Sousa nasceu a 28 de Abril de 1957 em S. João da Madeira. Desde muito novo que sonhava ser jogador de futebol e aos 15 anos conseguiu-o, na Sanjoanense. No ano seguinte chegou à equipa principal e começou a dar que falar devido à sua boa técnica e remate poderoso. Depois de 4 boas temporadas no Beira-Mar, chegou em 1980 ao FC Porto, e nas Antas confirmou o seu grande talento. No Verão de 1984 João Rocha contratou-o (e a Jaime Pacheco) para o Sporting. Estreou-se oficialmente a 26 de Agosto de 1984 (com John Toshack) numa receção ao Vitória de Guimarães (3-0) para o Campeonato Nacional. Marcou o 1º golo logo na semana seguinte em Coimbra (3-2). Rapidamente conquistou a titularidade na meia esquerda do meio campo (fortíssimo) leonino. Nessa 1ª época realizou 36 jogos e confirmou a sua “veia goleadora” ao fazer 11 golos, o que para um centrocampista é significativo Na temporada seguinte, com Manuel José, voltou a ser protagonista, atuando agora numa posição mais central no terreno. Realizou 39 jogos e fez 8 golos. O seu momento mais alto da época terá sido a magnífica exibição e o golo portentoso frente ao Atlético de Bilbau (3-0) para a Taça UEFA. Jogou (e marcou) pela última vez a 20 de Abril de 1986 frente ao Salgueiros (2-1) no jogo derradeiro da temporada. Esteve um total de duas épocas no Sporting. Fez 75 jogos oficiais e marcou 19 golos. Consta que nunca lidou muito bem com as brincadeiras dos colegas face à sua “pronúncia do norte”. A sua vontade em regressar à “invicta”...

Edivaldo Monteiro – Velocista de bom nível

Edivaldo Isaías Monteiro nasceu a 28 de Abril de 1976 na Guiné Bissau. Teve como clube de formação o Centro de Atletismo da Baixa da Banheira. Foi Campeão Nacional júnior em 1995, e em 1999 já tomou parte da equipa leonina que se sagrou, pela 4ª vez, Campeã Nacional em pista coberta. Ao serviço do Sporting, de 1999 a 2009, foi Campeão de Portugal de pista dos 400 metros barreiras por 5 vezes e dos 400 metros em 4 ocasiões. Na pista coberta conseguiu 2 títulos nos 400 metros. Participou no Campeonato Mundial de Atletismo nas edições de 2001, 2003 e 2007 (ano em que chegou às meias finais). Nos Jogos Olímpicos foi a Atenas em 2004 (chegou às meias finais) e a Pequim em 2008. Em 2002, no Campeonato Europeu de Atletismo de Munique, também chegou às meias-finais. Tem como recorde pessoal a marca de 49,10s obtida em Berna a 26 de Junho de 2004. Em 2010 regressou ao Centro de Atletismo da Baixa da Banheira, o clube onde se formou. Contribuiu para a equipa leonina que venceu 10 Campeonatos Nacionais coletivos de pista e 11 de pista coberta, sendo, indiscutivelmente, um dos bons valores do Atletismo sportinguista da 1ª década do século...

Mascarenhas – Recordista de golos num só jogo nas Competições Europeias

Domingos António da Silva, popularizado no Mundo do Futebol por Mascarenhas, nasceu a 28 de Abril de 1937 em Vila Salazar – Angola. Chegou à Metrópole em 1958 para jogar no Benfica (só lá permaneceu 1 ano), alinhando depois no Barreirense onde se notabilizou como um avançado-centro de grande eficácia. Veio para o Sporting no Verão de 1962 e logo no 1º jogo (12 de Agosto), no Troféu Elab, em Elche, marcou o golo solitário do triunfo frente ao Estrasburgo. Estreou-se oficialmente (sob a batuta de Juca) a 23 de Setembro na receção à Oliveirense (4-1) para a Taça de Portugal, logo marcando 2 golos. Aliás, Mascarenhas marcou nos 4 primeiros jogos que fez pelo Sporting e nunca menos de 2 golos num total de 9 remates certeiros! Nessa 1ª temporada participou em 18 jogos oficiais e fez 21 golos, contribuindo para a vitória na Taça de Portugal (marcou 17 golos nessa competição, 1 deles na final). Ainda assim, só mesmo na Taça era titular, pois jogou relativamente pouco no Campeonato. O ano seguinte foi glorioso, com a conquista da Taça das Taças (na qual foi o melhor marcador com 11 golos). Mascarenhas fez uma boa temporada como 1ª opção para o centro do ataque. Na inesquecível noite de 13 de Novembro de 1963 num triunfo (também ele recorde) de 16-1 frente ao Apoel Nicosia, Mascarenhas bateu o recorde europeu de mais golos marcados num jogo para as competições da UEFA (6), que se mantém. Estranhamente perdeu protagonismo de forma vertiginosa na temporada seguinte (que acabou por ser a sua última no Sporting). Participou apenas em 6 jogos e marcou...

Ana Marta Resendes

Ana Marta Resendes nasceu a 27 de Abril de 1980. Ingressou nas escolas de Natação do Sporting com apenas 4 anos, nas velhas piscinas do Campo Grande. Fez toda a sua formação como atleta no seu clube do coração, construindo uma carreira repleta de êxitos pessoais e coletivos, representando um modelo de dedicação, competência e perseverança. A “pulga”, como era conhecida entre os companheiros, ficou como exemplo para todos os jovens nadadores que quiserem atingir não só patamares de prestação desportiva elevada como também realização e reconhecimento no seu trabalho diário honesto, alegre e dedicado. Em cerca de 10 anos ao mais alto nível nunca referiu crises de motivação nem se queixou de faltas de incentivo. Atingiu os resultados que atingiu com esforço, dedicação, devoção e talento. Foi grande nos sucessos e enorme nos insucessos. Respeitadora de companheiros e adversários foi estimada por todos pela sua simplicidade, simpatia, humildade e solidariedade. Líder incontestada e capitã duma equipa que dominou a Natação nacional de 2001 a 2005, e que alcançou na modalidade os primeiros títulos coletivos para os leões, Ana Marta Resendes abandonou a Natação sportinguista por questões da sua vida profissional e pessoal, com a necessidade de abraçar uma carreira na sua área de formação académica, saindo pela porta grande dum projeto onde teve um sucesso tremendo. Os seus momentos gloriosos foram muitos. Atleta de alta competição, pré-olímpica em Sydney, com cerca de 20 internacionalizações, alcançou quase duas dezenas de títulos individuais, e os já referidos 5 títulos nacionais coletivos. Na Taça Cidade de Lisboa, em 2005, fez a sua última prestação como nadadora leonina, tendo sido na altura merecedora...

Maria do Carmo Tavares

Maria do Carmo Tavares nasceu a 27 de Abril de 1974 em S. Jorge de Arroios. Atleta especialista na velocidade, barreiras e meio-fundo, começou a carreira no Benfica onde permaneceu de 1994 a 1999. Em 2000 chegou ao Sporting, iniciando um percurso brilhantíssimo de verde e branco com inúmeras conquistas individuais e coletivas. Em pista, e só para salientar os títulos mais importantes, foi Campeã Nacional individual dos 200 (duas vezes), 400 (3 vezes), 400 barreiras (uma) e dos 800 metros (duas vezes). Em pista coberta foi Campeã dos 200 (5 vezes) e 400 metros (8 vezes). Somados dão 21 títulos nacionais individuais! Para além disso ajudou a conquistar uma quantidade imensa de títulos coletivos, sendo uma das grandes responsáveis pela hegemonia do Atletismo feminino do Sporting, tanto ao ar livre como em pista coberta. Participou em Campeonatos Ibero Americanos, da Europa, do Mundo e Olímpicos (Pequim 2008). Foi recordista nacional dos 400 e 400 metros barreiras. Após o abandono da alta competição, continuou ligada ao clube em funções...

1986 – Campeões de Andebol, em finalíssima com o Belenenses

26 de Abril de 1986. Neste dia o Sporting conquistou mais um título nacional de Andebol. Sporting e Belenenses tiveram que realizar uma finalíssima a 2 jogos para se decidir o Campeão. As partidas tiveram lugar a 25 e 26 de Abril, ambas no Pavilhão de Paço d`Arcos. Na 1ª partida os leões jogaram de forma irresistível com uma exibição absolutamente extraordinária ao longo de todo o encontro, utilizando sistematicamente 3 pivôs – Carlos José, Fróis e Hernani, que jogando em grande velocidade jamais foram travados pelos azuis. A eficácia da meia-distância de Mário Santos, Sérgio e Marques também pontificaram. O final chegou com um confortabilíssimo 30-19 para o Sporting. Na 2ª partida os verde e brancos limitaram-se a controlar os acontecimentos. E se por um lado os belenenses deram tudo por tudo, por outro o Sporting mostrou sempre uma grande capacidade para não se deixar surpreender. Os verde e brancos acabaram por conseguir um empate 22-22 que naturalmente chegou e sobrou para a conquista do título. Alinharam nestes 2 jogos (sob o comando de Manuel Brito): Carlos Silva e Pedro Miguel; Pires (6+2), Frois (3+1), Hernâni (4+0), Carlos José (3+3), Marques (2+6), Mário Santos (5+4), Sérgio (7+3), Miranda (0+3) e Rui Silva e Alberto Cabaço. Foi o 16º título nacional na modalidade para o...

2015 – Muitos anos depois, o regresso às conquistas europeias no Hóquei em Patins!

26 de Abril de 2015. O Hóquei em Patins do Sporting apresentou-se em Igualada para disputar a final-four da Taça CERS de Hóquei em Patins. No 1º jogo os leões bateram o Igualada por 3-2 no prolongamento com “golo de ouro”. O jogo começou lento de ambos os lados, sem contra-ataques e grande preocupação defensiva. Ainda assim, ficou evidente que era o Sporting quem tinha mais argumentos, quer a atacar quer a defender, mas algumas perdas de bola em zonas de perigo fizeram com que o Igualada tivesse as suas oportunidades, fazendo valer a mestria do guarda-redes Ângelo Girão, a dizer presente à hora certa, por exemplo, numa grande penalidade. Do lado leonino foi no ataque organizado que surgiu o perigo para o guardião catalão, Elagi Deitg. E foi precisamente num desses lances que João Pinto desfez o empate inicial, numa excelente finalização de primeira. No minuto seguinte e após nova grande-penalidade defendida pelo internacional português, Ton Baliu repôs a igualdade num contra-ataque em que Girão podia ter feito melhor. No entanto, ainda antes do intervalo, Tiago Losna, num contra-ataque de 3 para 2 finalizou da melhor forma levando os leões em vantagem para o descanso. Na 2ª parte o Sporting procurou gerir o jogo, mantendo ao máximo a posse de bola. Tudo estava aparentemente sob controlo até Ricardo Figueira teve uma desconcentração a 2 minutos do final perdendo a bola no meio rinque e fazendo falta para livre-direto. No seguimento da mesma. Met Molas não desperdiçou, levando o encontro para o prolongamento. No momento decisivo voltou a surgir Ricardo Figueira mas pelas melhores razões. Após falta sobre Tiago...
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.